O Papel do Líder da Sustentabilidade Corporativa


O Papel do Líder da Sustentabilidade Corporativa


Sabemos que são poucas as empresas que já designaram o seu líder na competência da sustentabilidade corporativa. Nas empresas multinacionais, esse profissional é chamado de CSO – Chief Sustainability Officer, seguindo a moda das siglas como CEO, CFO, CIO, CTO dentre outras. Nas empresas nacionais, pode ser chamada de Diretora ou Gerente de Sustentabilidade.

O nome do cargo é escolhido conforme a cultura e práticas de recursos humanos de cada empresa. O mais importante aqui é refletir e debater sobre a missão desse importante profissional no novo cenário empresarial.

Se essa competência é, de fato, uma prioridade para a empresa, esse líder se reportará diretamente para ao CEO ou Presidenta. Nesse nível de reporte, a empresa informará claramente para a organização e aos seus stakeholders, que a Sustentabilidade Corporativa passará a ser uma competência estratégica para o seu negócio.

O  perfil comportamental dessa profissional deverá estar relacionado à sua capacidade de atuar como agente de transformação como também um excelente nível de relacionamento interpessoal. Ela transitará e atuará com todas as organizações, devendo abrir e manter portas abertas com  seus pares e colaboradores. Uma dose ajustada de bom humor e paciência, ajudará bastante, porque nem todos os profissionais são maduros e preparados  para reconhecer na sustentabilidade corporativa, algo importante para empresa na sua totalidade. Seja dentro ou fora dela.

É possível listar as principais atribuições da Líder da Sustentabilidade Corporativa, contudo, cada CSO ou cada Executiva deverá moldar esta competência considerando aspectos como necessidades imediatas de cada empresa, sua maturidade frente ao tema e seu respectivo mercado.

Podemos contextualizar suas atribuições dentro dos âmbitos externo e interno à empresa:

Atuação externa:

Ser porta-voz e formador de opinião sobre a Sustentabilidade Corporativa através da publicação de artigos, palestras, exposição de projetos da empresa e debates com seus pares;

Relacionar-se com líderes do pensamento em sustentabilidade corporativa, mantendo-se como canal aberto de comunicação;

Trabalhar com Marketing de Comunicação para posicionar a empresa como player focado na sustentabilidade corporativa;

Acompanhar os passos da concorrência local e global e promover estudos de análise de tendências de mercado e tecnologias;

Incentivar, coordenar e permitir a colaboração da empresa em projetos de sustentabilidade e melhores práticas, sempre observando o contexto no qual a empresa está inserida;

Representar a empresa junto aos órgãos governamentais e institucionais diretamente ligados ao tema da sustentabilidade;

Atuação interna:

Ω Desenvolver uma visão estratégica para a empresa, garantindo que a competência da sustentabilidade permeie toda a  organização;

Ω Interagir com a organização para coordenar recursos em todas as áreas visando o compartilhamento de idéias, tecnologias, processos e melhores práticas;

Ω Incentivar e promover a participação de todos os colaboradores;

Ω Trabalhar com Marketing de Produto e Serviços para estabelecer plano de ação para promover ajustes nos produtos atuais e futuros, maximizando os índices de sustentabilidade no seu desenvolvimento, embalagem, entrega, logística reversa e descarte;

Ω Trabalhar com Setor Jurídico para garantir aderência às leis e legislações de cunho ambiental;

Ω Desenvolver uma equipe de profissionais de sustentabilidade na empresa e suas linhas de negócios, aproveitando os recursos existentes e mobilizando outros apoios, com objetivos de promulgar uma mudança de cultura, políticas e melhores práticas.

Ω Criar Key Performance Indicators para serviços e produtos visando componentes da sustentabilidade;

Ω Avaliar aplicabilidade por exigência ou boas práticas de certificações como ISO 14001, Sistemas de Gestão Ambiental, Gestão das Emissões e Mitigações de GEE (Gases de Efeito Estufa)

Ω Garantir implantação e efetiva manutenção de um plano de redução de resíduos, bem como de transformação destes em matéria-prima a ser reciclada;

Ω Desenvolver com a área de compras, políticas de compras sustentáveis, criando um ranking para os fornecedores que deverão  se comprometer a trabalhar com essa competência nos seus negócios;

Ω Criar medidores de eficiência energética, hídrica e de qualidade do ar;

Ω Promover programas de treinamento e desenvolvimento contínuos dos colaboradores para que se comprometam tanto dentro da empresa como em seus lares;

Ω Aderir às boas práticas da empresa tais como governança corporativa, gerenciamento de projetos, dentre outras;

Ω Apresentar relatórios periódicos dos principais KPIs;

Ω Coordenar e apresentar o relatório anual de sustentabilidade.

Finalizo reforçando que o CSO é uma realidade em poucas empresas e um futuro não muito distante para as demais.

Prometo retornar em breve, falando do CSO inserido em cada tipo de indústria e mercados e seu papel na transformação de empresas cinzas e Verde$.

About these ads

8 Comentários

  1. ZEAUG said,

    05/04/2010 às 15:11

    Promessa e divida. Vamos aos comentarios.
    A primeira coisa que eu senti falta foi de uma conceituação para Sustentabilide Corporativa. De cara voce tem que se expor ao conceituar uma expressão com interpretação ampla. Mas e indispensavel, voce precisa se posicionar diante desta multiplicidade de possiveis entendimentos. Vai ter que conceituar, segundo sua visão no contexto de muitas possiveis visões, o que é sustentabilidade, o que é corporação, e o seu composto. A partir daí ficará mais fácil refletir sobre todos os elementos de atuação que voce propõe.
    A segunda coisa que senti falta foi uma discussão, nem que sumária como a introdução, sobre que valores e como poderão ser medidos, a Sustentabilidade Corporativa poderá agregar às Corporações. Quais corporações estarão mais prontas a conquistar estes valores e quais tem dever de casa a cumprir previamente.
    E isso, forte abraço.

  2. Elaine Martins said,

    06/04/2010 às 18:27

    Olá!

    Parabéns pela iniciativa da discussão e do BLOG. Quando falamos sobre o papel de um líder não podemos deixar de mencionar o desafio de engajamento que este(a) profissonal terá. Isto é muito importante, tendo em vista que o assunto sustentabilidade, bem como seus conceitos e pensamentos estratégicos, são relativamente novos. O líder de Sustentabilidade deverá conseguir disseminar com clareza o assunto a todos os colaboradores, inserindo-o adequadamente em todos os negócios da empresa, além de demonstrar que esta nova onda traz retornos positivos para todos.

    Um abraço e sucesso em sua missão!

    Elaine Martins
    Relações Públicas
    (http://br.linkedin.com/in/elainemartins

  3. Carolina said,

    06/04/2010 às 21:02

    Legal seu artigo!
    Sem dúvida o cargo de CSO é extremamente necessário.
    É importante que empresários percebam essa necessidade e garantam estes profissionais em suas decisões estratégicas e na articulação de ações socialmente responsáveis que permeiem todos os departamentos de uma empresa, não como fonte de lucro apenas, mas como oportunidade de recriar suas empresas e permitir que elas sobrevivam dentro de cidades e sociedades que precisam de cuidados e considerações diferentes das contidas no “Business as usual”.
    Grande abraço!

  4. Facó said,

    17/06/2010 às 11:30

    Esse texto teve a participação do Mauro Ruiz, meu Coordenador do MBA de Gestão Ambiental e Práticas de Sustentabilidade do Instituto Mauá, pelo qual agradeço por correções e sugestões.

  5. 29/05/2011 às 13:47

    Fabiano sei que postou isso no ano passado, mas acredito que ainda seja algo a ser visto e mencionado.
    A minha questão não se trata de como o CSO deve agir, mas como as empresas encaram essa política ou até mesmo filosofia sobre a sustentabilidade.
    Tenho me questionado muito sobre isso e pouca coisa tenho visto em nível de mudanças substanciais.Percebo muitos confetes, muitos alardes, mas pouca consistência.
    A meu ver somente teremos mudanças quando as empresas se posicionarem em uma nova maneira de encarar o capitalismo, pois da maneira em que está ( nos moldes antigos) não haverá maneira das empresas, realmente, incorporarem a sustentabilidade.
    No momento em que os discursos empresariais estiverem alinhados com as práticas aí sim poderei começar a acreditar em mudanças.
    Muitas angustias e muitos questionamentos.
    Abs
    Teresa

  6. 16/11/2011 às 10:23

    Oi Fabiano,
    Parabéns pelo texto, esse assunto é de extrema importância e de implantação imediata, mas infelizmente as empresas ainda não perceberam a necessidade de se tornarem sustentáveis. O profissional de CSO deve demonstrar para a empresa que a responsabilidade ambiental ajuda a melhorar a imagem da empresa para o consumidor conciente, como se fosse um marketing verde, e a empresa que demorar a se adptar a esse novo mercado ficará para trás. Continue escrevendo sobre o assunto , me interesso muito em trabalhar com isso na minha região, pois sou formada na área ambiental.
    Até mais…

  7. 27/04/2012 às 00:22

    Prezado Facó, muito grato por dividir seu conhecimento e… aqui estamos para somar.
    Fecho com voce em todos os pontos que vc apontou em seu artigo. Há 2 anos implanto um projetode Politica Corporativa de Sustentabilidade junto á industria de BRT- transporte (rapido) urbano de pessoas.
    Muito se fala sobre sustentabilidade…..sustentabilidade corporativa; neste caso o primeiro ponto a ser observado é que estamos em um ambiente empresarial e , portanto “todas” as iniciativas sustentáveis devem sim estra linkadas á estratégia da empresa…que é : (i) fazer lucro; (ii); preservar recursos ambientais; (iii) desenvolver recursos humanos..(necessáriamente nesta ordem) significa aplicar o TBL ao negócio, sem dramas existenciais e sem exageros, “apenas” introduzir sustentabildiade como visão estrategica. O que importa ao empresario convencional é manter as portas abertas, faturando; o que importa ao empresario mais visionario é que alem de manter portas abertas aspectos sociaambientais sejam contemplados…desde que construam valor para a empresa. Quanto ao aspecto deste empresario como cidadão são outros 500.
    Resumindo Sustentabilidade corporativa “tem” que estar atrelada á uma estrategia do negócio, senão… não é corporativa é desenvolvimento sustentavel em então vamos procurar o F. Capra e não o P. Drucker.Mais uma vez obrigado pelo post e parabéns pelo blog.Abs Laercio

    • Facó said,

      27/04/2012 às 12:20

      Mestre Laercio, obrigado pela visita ao blog! É sempre bom ter por aqui os Habitantes Verdes! Principalmente quando alguém mais experiente como você traz reflexões e apoio ao texto. Abraços Verde$, facó


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 33 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: