10 passos para o SLM ou um Salto direto para o SLM


Nesses últimos meses andei pesquisando e ouvindo bastante como as Empresas Integradoras ou Provedoras (ou será que já podemos chamá-las de Empresas TIC?) estão estruturadas para atuar na disciplina de SLM no que diz respeito a contratos com seus Clientes.

Foi exatamente a partir dessa percepção que resolvi usar esse título nada criativo, porém, informativo. Por quê? Vamos aos porquês!

– Muitas delas ainda não praticam a disciplina de SLM em seus Contratos, sejam eles de Outsourcing ou Serviços Gerenciados. Em alguns casos, mesmo havendo o compromisso contratual em prática-lo.

– Muitas chamam o SLO de SLA e vice-versa.

– Muitas delas que já o praticam, executam-no ainda de forma bastante manual, demandando enorme esforço de profissionais e o uso de ferramentas que ainda não se relacionam corretamente entre si. Ou seja, podemos dizer, de forma artesanal.

Aqui está o momento que explica o título: a falta do uso de uma ferramenta específica para uma das principais disciplinas desse contrato, o SLM, causa uma demora em média de uns 10 dias para sua conclusão.

Durante esses dias equipes de profissionais se utilizam de planilhas eletrônicas e dados de diferentes ferramentas, para montar o cenário de SLM daquele contrato, daquele mês, daquele respectivo Cliente.

Enfim, vou me desculpar aqui, mas não vou contar os 10 passos e dias que levam para se concluir aquele SLM, pois não estaria dando nenhuma contribuição. Podemos sim, dar um salto para compartilhar os benefícios de uma Gestão de SLM, onde os profissionais estariam envolvidos somente na análise dos resultados e na criação de um plano de ação, ou seja, pensando e gerando valor.

Essa tarefa deve e pode ser delegada para uma ferramenta apropriada, moldada ao seu negócio, que interaja com as demais ferramentas de gerenciamento da sua Empresa. Essa mesma ferramenta estaria executando a função de garimpar as informações necessárias, executando as devidas correlações e entregando, de forma executiva, uma fotografia comparando o que consta no contrato versus o que foi realizado pela sua área de Operações. Ou seja, se o SLA foi ou não atendido.

Você Cliente, pergunte ao seu provedor como ele está cuidando do seu SLA. Antes, esteja preparado para ouvir a resposta, porque se o seu Provedor não está lhe entregando um SLM, que administra as informações para saber se o SLA foi ou não atendido, com a devida automação, você deve estar preparado para lhe pedir isso.

Cabe lembrarmos que “O que não é medido, não é gerenciado“, portanto vamos direcionar o foco e olhar para o SLM como uma disciplina de negócio e não meramente como uma ferramenta técnica.

No SLM sabemos se estamos entregando aquilo que assinamos no contrato com nossos Clientes. Também, no SLM, sabemos se estamos pagando multas excessivas que podem comprometer a lucratividade do nosso contrato e, principalmente a nossa relação de longo prazo com esse Cliente.

Abraços, Fabiano Facó

Anúncios

1 Comentário

  1. Mauro said,

    15/12/2009 às 14:34

    Ola Fabiano,

    Interessante seu texto. Pela segunda vez procurando sobre um tema caio em seu blog. Eu fiz engenharia mecanica na Mauá, mas hoje trabalho com TI.

    Abs

    Mauro


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: