Nascer e Morrer


Nascer e Morrer

Inspirado em experiências pessoais e também nas recentes noticias do caso que ocorre na Itália, onde um menina de 20 anos, chamada Eluana, viveu dos seus 20 até 37 anos em estado de coma, vegetando num quarto de hospital. No dia 13 de Fevereiro, ela se transformou em energia, deixando assim uma sensação de alívio para sua Família e também deixando os profissionais que cuidavam dela direcionados para outros casos e, quem sabe, para casos onde possa ter alguma esperança de Vida!

Vida aqui eu defino qualquer possibilidade mínima de troca, de interação, de comunicação, seja através da fala, do olhar, da expressão corporal ou de qualquer outra expressão.

O Escafandro e a Borboleta, filme ou livro, é um otimo exemplo para exemplificar o que estou passando aqui.

Deixando de lado as posições políticas e também religiosas, porque ambas não se focam na familia e nem no doente e sim na manutenção de votos e seguidores, podemos lembrar e elencar tudo que a ciencia dos homens propicia nos dias atuais quando estamos falando da procriação de vidas : inseminaçào artificial, tratamentos para homens e mulheres corrigirem seus aparelhos reprodutores, etc. Sim, hoje um casal pode se digirir até uma clinica de inseminação artificial, manifestar sua vontade de ter um filho e, em muitos casos terminar o tratamento com um, dois ou até tres filhos e, em alguns casos, ainda terem que lidar com assédio sexual causado “pelos remédios” ! Falando do parto, do momento crucial onde nascem nossos filhos, a ciencia dos homens determina se será natural ou com intervenção cirurgica, sendo a segunda opcao algo quase que mandatório pois propicia melhor planejamento e maior obtencao de receita. Determina também se vai nascer com 7 meses, 8 meses ou 9 meses, sem contar que durante a gravidez podemos descobrir deficiencias no feto e até corrigi-las.

Agora, para uma pessoa que está em estado de coma, vegetando e sem nenhuma perspectiva de vida, de melhora ou cura, ainda somos levados a nos manter nos moldes antigos e vivenciarmos os velhos habitos, dogmáticos paradigmas, onde ditam que o Ser Humana e Humano não pode interferir no processo de morte de uma pessoa que está em coma, vegetando e sem nenhuma perspectiva de melhora ou cura.

Precisamos nos fazer antigas e novas perguntas :

– Qual a diferença de interromper um processo vegetativo dentro de um coma e propiciar alivio para o paciente e familia em relacao as pessoas que morrem diariamente de fome ou de doenças por falta de verbas mal utlizadas ou usurpadas pelos politicos que são escolhidos por nós ?

– Como devemos ouvir ou nos importar com posicoes religiosas se essas mesmas instituicoes proclamam velhos habitos que não condizem mais com a sociedade ? Alguns exemplos: Não adoção de preservativos para conter doenças sexualmente transmissiveis sem contar a grande ajuda no planejamento familiar, evitando filhos que não podem ser criados e cuidados com as minimas condicoes possiveis. Não reconhecimento da igualdade entre Mulheres e Homens e muitas outras regras que estão congeladas nas mentes dos Papas, Bispos e toda alta hierarquia das Igrejas.

– Por que os Banqueiros do Primeiro Mundo podem brincar de Banco Imobiliário sem nenhuma tipo de retaliação, a não ser pela possivel diminuição dos seus bonus e, no final dessa brincadeira, tendo ela não dado certo, podem ir aos Governos pedir esmolas ao mesmo tempo que cometem eutanasia com os empregos de milhares e milhares trabalhadores que nas Empresas estavam fazendo seu trabalho ?

– Por que a dor e o desgaste da familia e do doente não são considerados em primeiro lugar ?

– Se avançamos e progredimos no ato de procriar, de conceber, por que não avancar no ato de aliviar e amenizar essa etapa de transformação ou finalização ?

=> Transformação para aqeles que acreditam que a energia da alma ou do corpo espiritual daquela pessoa ira permanecer em outra dimensao ainda não bem entendida por nós.

=> Finalização para aqueles que acreditam que a morte é um fim e pronto!

Sim! É um tema que requer profunda reflexão mas que precisa ser pautado para que haja uma profunda discussão que possa se adequar ao atual estágio da humanidade. Muita coisa mudou até aqui e em breve esse tema terá mudanças também.

Não sou afiliado de nenhum partido politico e nem entendo de politica, mas um dia vou me filiar.

Não tenho religião e não me sinto com necessidade de ter, apesar de saber tirar o melhor delas para o meu bem estar

Não sou cientista tão pouco.

Mesmos com todos esses “Nãos” me sinto a vontade de opiniar nas areas deles pelo simples fatos deles existirem para atender minhas expectativas de cidadão!

Anúncios

2 Comentários

  1. Mari said,

    20/09/2012 às 23:19

    São mto oportunos estes argumentos. Já está mais do que na hora a sociedade tomar partido em questões tão delicadas quanto o morrer em paz.

  2. Paloma Silva said,

    20/09/2012 às 23:43

    Tema dificílimo Humano Facó. Sabe que sou sua fã, adoro a forma como expõe suas idéias, sempre ponderada e baseada em fatos. No entanto, a eutanásia ainda me causa calafrios. Sou kardecista por vocação, não tenho nenhum membro na família que tenha esta religião como opção. Esta nasceu e morrerá comigo. Prefiro acreditar que cada minuto de vida, não importa como, ainda é vida…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: