Os ecopontos estão cumprindo sua função socioambiental ?


Os ecopontos da cidade de Rio Claro são iniciativas públicas que visam a dar uma destinação final ecologicamente correta aos resíduos neles descartados. Segundo o folheto da prefeitura, são aceitos, nesses locais, pequenos volumes de resíduos da construção civil, resíduos eletrônicos, móveis velhos, resíduos da linha branca, papelão, papel, plásticos, vidros e metais, pneus e lâmpadas fluorescentes por munícipes.

                Considerando-se os apelos ambientais da atualidade, bem como a recente aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305), é importante que o governo articule mecanismos eficazes em prol da promoção da sustentabilidade e consciência ambiental. Cabe a ele prover estímulo à ecoeficiência e ser modelo para todos os agentes envolvidos na responsabilidade compartilhada pelos resíduos sólidos.

                Como integrante do Parlamento Jovem 2011 e pesquisadora júnior em gestão ambiental, venho acompanhando a situação dos três primeiros ecopontos públicos de Rio Claro desde o ano passado: o do Cervezão, o do São Miguel e o do Jardim São Paulo. A infraestrutura e operacionalização dessas iniciativas vêm sendo melhoradas pela Sepladema, mas isso nem sempre basta para garantir destinação final ambientalmente adequada aos resíduos neles descartados.

                Dentre as condições observadas nos três locais que mais contradizem seu suposto caráter “ecologicamente correto” destaca-se a disposição sem critério técnico adequado de lâmpadas fluorescentes, ao ar livre, nas proximidades de resíduos de grande porte. Não raro, lâmpadas quebradas foram observadas nesses locais, apresentando riscos à comunidade, devido à liberação de gás de mercúrio. Além disso, a falta de especificação quanto à tipologia dos resíduos que podem ser descartados resulta numa disposição caótica dos demais resíduos nas caçambas, misturados com podas de árvores e resíduos orgânicos.

As pilhas e baterias descartadas nos ecopontos, consideradas resíduos perigosos, acabam indo parar no aterro sanitário da cidade, em desacordo com as medidas preconizadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos. Essa prática inadequada também contradiz a Resolução 401 do Conama, pois desconsidera a toxicologia e periculosidade desses resíduos que resultam em riscos para a saúde pública.

            Em duas visitas nos últimos 10 meses aos ecopontos, foi possível observar “sem tetos” utilizando estas instalações como abrigo, convivendo em meio a resíduos de todo tipo, sem a menor noção dos riscos.

Imagens do Ecoponto Texto Maira

Imagens do Ecoponto Texto Maira

            Aproveitando que acabamos de passar por novo processo eleitoral, com novos mandatos de Prefeitos e Vereadores, é importante chamar a atenção para o problema levantando as seguintes questões:

(1) Os ecopontos estão cumprindo sua função socioambiental?

(2) Os recursos investidos em suas construções, da ordem de cem mil reais cada, foram bem empregados?

Cabe à população rioclarense refletir sobre essas questões e ficar atenta para que “desacertos políticos” como este não se repitam na nova gestão que se descortina.

Maira Rubini Ruiz é aluna do 2º ano do Ensino Médio do Colégio Koelle. Bolsista de Iniciação Científica Júnior do CNPq em 2011 e 2012 e pesquisadora júnior em gestão ambiental. Membro do Parlamento Jovem 2012 e finalista da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), Genius Olympiad e Mostratec no ano de 2012. Para interagir com Maira, você pode acessar seu facebook https://www.facebook.com/mairarruiz ou email para mairarruiz@hotmail.com

Maira Ruiz

Maira Ruiz

Sonae Sierra Brasil compensará 100% dos gases do efeito estufa emitidos em seus shoppings durante liquidação


Hoje o Gui Brammer compartilhou comigo uma boa notícia! Descrevo na íntegra o texto divulgado pela empresa X Comunicação , comentando a excelente iniciativa da Sonae Sierra.

Muito obrigado, Gui!

Liquidação Código Verde

Liquidação Código Verde

“”  Todos os gases do efeito estufa gerados pelo funcionamento dos dez shoppings da Sonae Sierra Brasil, durante a Liquidação Código Verde, ocorrida nos dias 2, 3, 4 e 5 de fevereiro, serão compensados por meio do plantio de árvores. Esta é a ação “Atitude Verde” da 6ª edição da Liquidação Código Verde, que acontece nos empreendimentos da empresa, localizados nos estados de São Paulo, Amazonas e Distrito Federal, com descontos de até 70% em milhares de produtos.

Desde sua criação, em 2009, a Liquidação Código Verde promove ações de conscientização sobre as questões ambientais. Para esta edição da campanha, 100% dos gases do efeito estufa emitidos na operação dos dez shoppings durante quatro dias serão compensados com o plantio de árvores nativas nos biomas Amazônia e Mata Atlântica, tais como seringueira, jatobá, buriti, cupuaçu, andiroba e genipapo.

A Liquidação Código Verde é promovida simultaneamente pelos dez shoppings da Sonae Sierra Brasil: Boavista, Campo Limpo, Penha e Plaza Sul, em São Paulo; Metrópole, em São Bernardo do Campo, Parque D. Pedro Shopping, em Campinas; Tivoli Shopping, em Santa Bárbara D’Oeste; Franca Shopping, em Franca; Pátio Brasil Shopping, em Brasília; e Manauara Shopping, em Manaus. “”

Refletindo sobre o texto acima, é importante ressaltar que os gases inventariados serão compensados quando o total dessas árvores estiverem crescidas e bem cuidadas. Dessa forma, serão capazes de sorver os gases de efeito estufa que irão circular no seu entorno. Ou seja, dependendo das árvores envolvidas, os gases serão absorvidos daqui há mais ou menos 5 ou 10 anos. Nesse vídeo você se informa um pouco mais sobre essa modalidade:

Esse tempo e essa modalidade não tiram o mérito dessa iniciativa da Sonae Sierra, mais do que compensar os gases de efeito estufa durante a Liquidação Código Verde, devemos ressaltar e aplaudir o mérito educativo ao levar para o seu grande público de consumidores, a importância do conhecimento e do debate sobre os graves impactos que as mudanças climáticas estão gerando em nossa sociedade. Unir educação com consumo de produtos, serviços, entretenimento e bem estar, fazem parte da estratégia da Sonae Sierra, que tem a sustentabilidade ambiental e social no seu DNA.

É crescente a necessidade de colocarmos um pouco de política e conhecimento no ato de consumir. Os rótulos das embalagens ainda não esclarecem nossos consumidores sobre o real impacto sócioambiental de  cada produto que tiramos das lojas. Estamos longe de atingirmos esse estágio. Sendo assim, nada melhor do que consumir ao mesmo tempo que seu ato também contribui para diminuir o impacto.

Esse é o grande GOL da iniciativa da Sonae Sierra! Não só pode, como deve inspirar toda indústria de Shopping Centers e Varejo, para seguirem e adaptarem esse ótimo movimento de consumo consciente! É imperativo que os Shoppings insiram a $ustentabilidade na sua estratégia e que a governança climática receba seu devido foco. Um bom começo é conhecer o seu inventário de gases de efeito estufa.

Se quiserem saber mais sobre Sustentabilidade da Sonae, assistam a entrevista da Elizabeth Morita realizada no Programa Sustentavél S.A.:

Além das árvores, é possível compensar suas emissões de gases de efeito estufa através de projetos  ambientais certificados, que fazem uso e incentivam as tecnologias limpas em todos os segmentos da indústria. Nesse vídeo você conhece um pouco mais dessa modalidade:

Sustentabilidade é para Sempre!


Hoje de manhã circulei pelo Blog do Guilherme Brammer e lá achei suas reflexões sobre uma pesquisa chamada Sustentabilidade Aqui e Agora. Tal pesquisa foi patrocinada pelo hipermercado Walmart do Brasil e Ministério do Meio Ambiente do Brasil, realizada pela Synovate do Brasil e divulgada pelo Portal Envolverde do Jornalista Dal Marcondes.


A pesquisa completa pode ser lida nesse link:  Sustentabilidade Aqui e Agora

 

De fácil leitura e com gráficos coloridos e informativos, a pesquisa  traz para seus leitores um amplo panorama dos ativos que envolvem sustentabilidade ambiental: água, energia, resíduos, ar, matéria prima e solo bem como as novas e necessárias atitudes ao lidar com todos eles: Reciclagem, Redução de consumo, Reutilização de produtos, Recusar produtos que agridem o meio ambiente e Repensar a produção dos antigos produtos ou dos novos, dos  fazendo uso de matéria prima renovável ou aquelas que menos emitem gases de efeito estufa!

5 Rs Reciclar, Reduzir, Repensar, Recusar e Reutilizar

5 Rs Reciclar, Reduzir, Repensar, Recusar e Reutilizar

 

Os números demonstrados na pesquisa indicam que a nossa atitude precisa ser rápida e deve cobrir todo os nossos personagens. O Habitante Verde de cada um deve atuar rápido dentro de si, porque Governo, Escolas e Empresas são formadas – ainda – por pessoas,. Portanto, seremos nós os responsáveis por essa grande transformação no relacionamento Ser Humano x Meio Ambiente. Nossa capacidade de esgotar os recursos naturais foi tremendamente eficaz nas últimas décadas e tudo converge para um mesmo motivo: Consumo do Ter!

O antídoto para reverter nosso eficaz processo de destruição do meio ambiente será a busca pelo Consumo do Ser! Para acordar e fazer valer esse tal Consumo do Ser, teremos que fazer valer os mesmos critérios existentes na evolução do Ser Humano. Ou seja, aquele que mais apresentar transformações rumo ao comportamento de um Habitante Verde, terá que ser premiado por Governo e Empresas através de redução de impostos e pontuação na compra de produtos, por exemplo.  Por outro lado ( o lado cinza ), aquele que se mantiver como um simples Terráqueo terá ser premiado com multas, taxações enfim, incentivos econômicos para provocar intensa reflexão interna e fazer entender a si próprio que sua mudança vale muito para si e para os outros.


Sustentabilidade é para sempre, caso a sociedade civil tenha a intenção de viver em equilíbrio com os recursos que ainda são produzidos pelo Meio Ambiente! Ou, por alguma crença ou intuição, esteja considerando que poderemos nos mudar para algum outro Planeta no Universo.


 

Seu resíduo de remédios agora tem remédio!


Na última quinta-feira, 9 de dezembro, aconteceu o último dia de aula do Curso de Gestão para o Baixo Carbono da Fundação Getulio Vargas. Trinta e três profissionais do mais alto nível na competência da sustentabilidade empresarial, fizeram parte da primeira turma da GV nesse curso.

Essa breve introdução foi para comemorar algo que eu repetia para mim e para os “carboninhos” : O curso é ótimo pela qualidade dos Professores assim como pelo conhecimento e network entre os alunos! Dito e feito! Hoje, o Sergio Cintra da   Empresa Ambiental MS compartilhou conosco um serviço bastante inovador.

Antes de falar dele, quero mostrar uma foto do próprio site, que por si só, já é motivo de mais uma mudança no nosso cotidiano :

Descarte Consciente de Remédios

Descarte Consciente de Remédios

Ato contínuo ao ler o e-mail do Sérgio, montei um e-mail para divulgar no meu condomínio, nas redes sociais da Habitante Verde como twitter, facebook e linkedin e sem esquecer de divulgar para as Empresas Clientes  e Amigos da Habitante Verde. Antes de clicar no enviar, resolvi ligar para tirar dúvidas e conhecer um pouco mais o serviço. Fui muito bem atendido pelo Roberto, gerente responsável pela implantação do projeto e rapidamente ele me resumiu o processo fim-a-fim que conto aqui para os Habitantes Verdes:

Antes de contar, vale a pena lembrar que essa empresa e seus parceiros estão saindo na frente (bem na frente) da Lei de Resíduos Sólidos aprovada esse ano e, que ainda agoniza para ser regulamentada. Enfim, a turma da BHS optou por dar um passo adiante! O Programa de Descarte Consciente gerido pela BHS Brasil Health Service junto as redes de farmácias garante um dos principais pilares da Política Nacional de Resíduos Sólidos, ou seja, que a responsabilidade pela coleta dos resíduos deve ser compartilhada por toda cadeia produtiva: fabricantes, distribuidores e  vendedores para o consumidor final. Dessa forma,  o Programa de Descarte Consciente cria uma rota de logística reversa confortável e segura para os consumidores que frequentam as farmácias. Agora, além  de adquirir novos produtos, irão poder levar até elas seus remédios vencidos e também aqueles que estão fora de uso.

Remédio é um resíduo que requer o máximo de cuidados, portando, seu descarte precisa acontecer através  de um processo profissional e regulado. Por isso, o caminho de volta para farmácia irá garantir que o mesmo será retirado por empresa especializada e incinerado conforme as normas vigentes, minimizando impacto no meio ambiente. Principalmente, se a comparação for feita com o procedimento atual, muito bem demonstrado na foto que basicamente mostra – onde e como – estamos poluindo nosso rios, solos, mares e lençóis freáticos.

Segundo o Consultor de Gestão de Resíduos Sólidos, Mestre Alexandre Aguiar , meu Professor lá do MBA de Sustentabilidade da Mauá, os remédios são classificados como Resíduos do Grupo B, portando, altamente tóxicos e geridos por normas do CONAMA.

Lembre-se de  guardar seus remédios vencidos e fora de uso num lugar seguro, inalcançável pelas crianças, levá-los até a farmácia mais próxima do seu caminho que esteja na lista do site e lá procurar por um dos profissionais que irá  fornecer todas as  orientações. Tudo isso  te dará certeza que seu gesto cumpre as boas práticas de cidadão, com você e com o meio-ambiente!

 

Clica no portal do Programa e conheça a farmácia mais próxima de você! Em breve, outros endereços estarão completando e aumentado essa lista!


http://www.descarteconsciente.com.br/

Descarte Consciente de Medicamentos

Descarte Consciente de Medicamentos

O destaque dessa invenção está na Estação ECOMED® , tecnologia onde os remédios serão coletados, obedecendo normas de segurança e controle. Mais sobre a Estação ECOMED® , clique aqui

Descarte de Medicamentos

Descarte de Medicamentos

Coletora de Medicamentos para Descarte Consciente

Coletora de Medicamentos para Descarte Consciente

Dá para pintar de Verde nossa Educação ?


Dá!  Com certeza!

Quando escrevi sobre o personagem Habitante Verde no texto Quem é o Habitante Verde ? refleti sobre a importância dessa transformação dentro das pessoas adultas, e um dos personagens é o Educador Verde.  Ao Educador Verde, digo que basta dar bons exemplos para atingir o caminho mais rápido e eficaz na educação dos nossos pequenos. Cabe a ele mostrar, na prática,  a nova maneira de se relacionar com o meio ambiente: água, energia, solo, resíduos e ar. É sobre o Educador Verde que quero dividir experiências e conhecer mais!

Não tenha dúvidas que sua atitude em casa e em todos os lugares, irá fazer chegar até a mente e instinto dos seus filhos, uma intensa e cristalina mensagem. Essa mensagem será determinante para lhe dizer como devemos proceder no uso da água, energia, solo, resíduos e ar. Gestos intimamente ligados aos 5 Rs de Reciclar, Reduzir, Repensar, Recusar e Reutilizar – já serão uma boa referência de exemplos a serem seguidos.

Em contrapartida, vai te ajudar, e a eles também, se você repete hábitos pintados de verde! Exemplo fácil é estimular a leitura de livros infantis que abordem o tema de maneira leve e divertida! Esses livros podem ser lidos com eles, estando eles, os filhos, no seu colo, daquele jeito que nossas Mães e Avós contavam historinhas para gente quando não tinham que competir com as TV´s, Jogos, Internet, etc. Se puder, evite os termos técnicos, o sentimento que o mundo pode acabar e outras abordagens mais contundentes, conte uma história, mude a voz conforme o personagem e outras técnicas que funcionem para sua turminha.

Aqui em casa minha dupla foi promovida aos cargos de Guardiões dos Recursos da Terra! Esse tema foi inspirado nos livros de Rachel Biderman e Sandra Marcondes, que abordam as dicas do Tio Fabio sobre tudo que devemos re-aprender no trato com os recursos do Planeta. São 5 livros:

Guardiões do Clima da Terra

Guardiões do Clima da Terra

Guardiões da Mata Atlântica

Guardiões da Mata Atlântica

Guardiões da Limpeza da Terra

Guardiões da Limpeza da Terra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Todos  abordam de forma leve e lúdica, como devemos nos re-educar e educar nossos pequenos para o atual cenário de transformação que estamos vivendo.

 

Lá em casa já foram lidos os  livros e agora, com ajuda da Escola Soletrar , estamos compartilhando com os amiguinhos da sala de aula.

 

A idéia é que os livros circulem pelas casas dos Educadores – Mães e Pais – para dividir e compartilhar esse conhecimento, tão importante quanto todas as outras disciplinas tradicionais de um curriculum escolar.

No final, você tem uma surpresa:  um Certificado! Mas não vou dizer para quem é, e sobre o que é, para não tirar sua expectativa, ok?

Guardiões da Camada de Ozônio

Guardiões da Camada de Ozônio

Guardiões da Água do Planeta

Guardiões da Água do Planeta

Dá para  fazer mais? Dá!

Ganhei de presente de um amigo de longa data, 3 jogos que lembram muitos os jogos da querida infância! O que

muda ? É que todos estão atualizados com os temas da Ecologia, Reciclagem e o novo Mercado das Práticas de Sustentabilidade.

Quer brincar e educar ao mesmo tempo ? Escolha um dos três, lembre do seu tempo de criança e sente no chão para se dive

rtir com os seus pequenos! Quem vai educar seu filho são os jogos, você vai estar dando o prazer da sua companhia e, se possível ,dando uma dica aqui outra ali de como tratar água, energia, solo, resíduos e ar dentro do seu lar e em todos os lugares!

Todos os jogos você encontra na Loja do Rogério: http://www.toysrio.com.br/

Pode ir lá com calma e segurança. Frequentei essa loja de 1974 até 1978, quando ainda se chamava Guri Lar. Lá no Méier!

Quem gostava do WAR irá curtir o ECO Planeta! Quem era fã do Banco Imobiliário, irá curtir o Mercado Sustentável! Quem ainda chama resíduo de lixo, irá chamar só de resíduo e reconhecer que lixo é o nome da a nossa atitude quando não tratamos resíduo como resíduo.

Por último, não se surpreenda quando eles começarem a dar bons exemplos para vocês, Educadores!

 

Mercado Sustentável

Mercado Sustentável

Recicla Mundo
Recicla Mundo

 

Eco Planeta

Eco Planeta

Sabem quem chegou nos 30 + votados do TopBlog?


Depois de chegar entre os 100 mais votados no Prêmio TopBlog 2010 , o Habitante Verde agora flutua entre os 30 primeiros dessa nova fase. Digo flutua, porque ele pode ficar entre os 30 ou não. Esse vai e vem, permanece até 10 de Novembro de 2010, onde votos do Júri Popular e Júri Acadêmico irão escolher os três mais votados. O Habitante Verde tinha duas metas: A primeira foi estar entre os 100 primeiros, conseguiu! A segunda é permanecer entres os 30 mais votados, ou seja, onde está agora, como indica o dinâmico placar dos TopBlogs 30 + votados.

Top 30 + votados

Top 30 + votados

Para quem foi inventado em setembro de 2009, para contar a história de uma mudança de vida profissional para o segmento da sustentabilidade empresarial,  o Habitante Verde pode ser considerado o estagiário da turma dos 30. Clique nos outros Blogs para saber com quem ele está compartilhando essa disputa:

a arte de modificar A HORA DO PLANETA É A SUA HORA Ambiente Brasil Blog Caiçara Blog da Gisele Blog do Rancho Boas Atitudes

Bonito Birdwatching Canta Cantos Ciencia Blogada CPEA � Centro de Pesquisas e Estudos Agrários e Ambientais Doural Sustentável

EcoD ECOLOGANDO E esse tal meio ambiente? Irradiando Luz Meu Velho Chico Minha Vida Eco-Chic Mundo Possível | Vidas Possíveis

organização sócio ambiental para biodiversidade miraterra – omt PAGINAS VERDES BRASIL plantandoconsciencia Plurale em site

Pra Hoje! Ruas Digitais: Inclusão digital com moradores de rua SETRI SUSTENTABILIDADE Teofilo Educ@ na Mata

Trinca-ferro verdadeiro Vivo Verde

Todos aí de cima são espaços informativos e educativos com foco na sustentabilidade ambiental e com suas lentes ampliadas para Empresas, Governo, ONGS e a Vida cotidiana das pessoas que estão se transformando em Habitantes Verdes; aliás, você pode votar neles também!

Quero agradecer a todos os amigos pessoais, amigos profissionais, amigos digitais, professores,  alunos e funcionários  dos cursos de MBA de Gestão Ambiental e Práticas de Sustentabilidade do Instituto Mauá de Tecnologia e do Curso de Gestão para o Baixo Carbono da Fundação Getúlio Vargas. Foram os votos e incentivos de vocês que trouxe o Habitante Verde até aqui!

Para fechar esse texto de comemoração e agradecimentos, vou aproveitar e pedir mais votos para vocês! Quem já votou, pode indicar para outra pessoa votar também! Basta clicar aqui :

Espaço especialmente dedicado para votar no Habitante Verde para permanecer entre os 30 + votados

Abraços Verde$, Facó



Relatório de Atividades do GVces mostra muitos gols.


O Relatório de Atividades do GVces, Centro de Estudos em Sustentabilidade da EAESP, mostra porque o seu time anda marcando vários gols no protagonismo do tema da sustentabilidade. A versão de 2009 oferece significativa inspiração e exemplo para que as demais Instituições de Ensino se motivem a construir essa competência dentro das suas administrações. Cada uma pode construir seu núcleo conforme sua cultura, maturidade e identidade. Dessa forma, irão acelerar sua contribuição e participação como entidades formadoras de opinião no cenário da sustentabilidade e de  transformação cultural.

O Relatório destaca temas extremamente relevantes para sociedade, empresas e governo, todos desenvolvidos pelo time do GVces, com ajuda de Empresas Parceiras e Apoiadoras. Os principais tópicos do Relatório são:

– Desenvolvimento Local e Produção Sustentável;

– Sustentabilidade Empresarial e  Global;

– Finanças Sustentáveis e Consumo Sustentável;

– Revista Página 22;

– Educação,  Comunicação e  Publicações;

– Sua Equipe, Parceiros e Apoiadores de 2009;

Compartilho com o time do GVces a sugestão de publicar no Relatório de 2010, informações que contem a pegada e a gestão dos recursos utilizados no dia-a-dia da Fundação Getúlio Vargas, em todos os seus Campos. Ou seja, compartilhar seu consumo de água, energia, inventário de GEE e gestão dos seus resíduos, como também seu plano de redução, otimização e educação do seu público interno.

Com isso,  a frase ” Casa de ferreiro, espeto é de pau ” nunca irá se conectar com sua marca. Em outras palavras, todo esse conteúdo rico e inovador  que está sendo produzido pelo GVces, poderá também ser aproveitado pela equipe de gestão ambiental da própria FGV, ampliando assim seu leque de contribuição para seus Stakeholders.

O Relatório na sua integra pode ser baixado nesse link, pois está disponível  no site do GVces

Toda equipe do GVces está de parabéns pois são projetos de resultados mensuráveis e de benefícios de longo prazo.

Trata-se de um caminho de mudança cultural.

Relatório de Atividades do GVces de 2009

Relatório de Atividades do GVces de 2009

Bom exemplo ” Anti-Greenwashing “


O Guia do Greenpeace que informa o ranking dos principais fornecedores de equipamentos eletrônicos e seus compromissos com a sustentabilidade ambiental, permanece com a Fabricante Finlandesa de Celulares na liderança. A versão mais recente, de maio de 2010, pode ser visualizada clicando aqui. Esse guia pode orientar o consumidor verde ou aquele que está migrando de cinza para verde, oferecendo informações que precisam ser consideradas no processo de decisão de compra do seu novo equipamento. Além dos  itens relacionados com preço, tamanho, acesso para redes internet, 3G e Wifi, aplicativos e assistência técnica, é imperativo que o aspecto da sustentabilidade ambiental de cada empresa, também faça parte da nossa decisão de compra. Em outras palavras, o consumidor precisa conhecer como a marca da sua escolha está se relacionando com os recursos da natureza e como pretende intensificar essa relação daqui para frente.

 

Descobri esse guia através de uma apresentação da própria Empresa, ministrada pelo Guilherme Koga no dia 10 de Junho por ocasião do Seminário Gestão de Resíduos e Pós-Consumo  no Varejo da FGV.  Além do guia, outras ações merecem destaque pelo resultado já obtido, bem como servem de comparação com a crescente onda de propagandas e publicidades na linha do greenwashing.

A Fabricante Finlandesa destacou ações já implementadas, como também seu compromisso de investir em pesquisas que promovam profundas análises no ciclo de vida de seus produtos. Dessa forma, poderá realizar uma transição para intensificar o uso de matéria-prima renovável sempre que possível, como também transformar o design, fazendo com que os equipamentos possam apresentar mais eficiência no momento de serem reciclados.

Das ações já implantadas, as embalagens foram reduzidas e ajustadas para abrigarem o celular, carregador, manual e acessórios de alguns modelos. Ou seja, além de reduzir o uso de papel, tinta e tudo que envolve o processo de produção de uma embalagem, não podemos esquecer que essa redução também implica no baixo consumo de combustíveis, pois o mesmo transporte, seja aéreo ou terrestre, está transportando mais equipamentos com o mesmo consumo. Não deve parar por aí! A Europa já determinou por Lei, que os carregadores deverão ser compatíveis com todos os modelos e fabricantes. Isso significa que você poderá trocar de celular, sem precisar de um novo carregador. Agora é torcer para que essa Lei chegue por aqui também.

Destaco o programa de reciclagem implantado pela Finlandesa, porque o mesmo foi concebido para oferecer retorno financeiro tangível e não apenas para ser usado em publicidade. Esse retorno irá acontecer em médio prazo, na medida que a Empresa possa comercializar todo o material nobre, ouro por exemplo, que é aproveitado no seu processo mundial de reciclagem, com objetivo de serem re-utilizados em novos equipamentos. Basicamente, a coleta começa nos postos de assistência técnica e de lá são enviados para Centros de Triagem.  No vídeo que segue, você pode conhecer mais detalhes do processo fim-a-fim da reciclagem:

 

Creio que os próximos passos da Finlandesa, seja aumentar o volume de participação dos seus consumidores, pois esse volume irá trazer os resultados projetados no seu planejamento. Imagino que estejam procurando campanhas que possam mobilizar o incremento desses números na sua fonte, ou seja, nas pessoas que ainda não se sentem estimuladas em disponibilizar seu equipamento para reciclagem. Talvez fosse o caso de ampliar esse projeto com a participação das operadoras de celular e demais pontos de vendas, transformando a atitude do consumidor em algum tipo de bônus, quando do momento da entrega do seu equipamento usado. Seja na troca por um novo ou através de promoções na conta de utilização da linha. Nesse contexto, o Fabricante, a Operadora e o Consumidor  irão dividir os ganhos econômicos tangíveis e intangíveis.  Seguindo essa linha,  Fabricante e Operadora automaticamente se enquadram na nova Política de Resíduos Sólidos que será aprovada em breve pelo Senado, onde basicamente as empresas serão responsabilizadas pelo correto e adequado descarte dos seus produtos.

Convido aos leitores para compartilharem sua sugestões de como a Finlandesa pode aumentar o volume dos equipamentos a serem considerados em relação ao atual programa de reciclagem. Essas idéias podem abranger a  participação de outros protagonistas nesse cenário como: Operadoras do Serviço de Telefonia Celular , Pontos de Vendas e Consumidores e obviamente os Fabricantes.

 

Rethink, Rebuild e Report – Reunião Mundial do GRI.


Nos dias 26, 27 e 28 de Maio de 2010, aconteceu em Amsterdan a Conferência Mundial do GRI Global Report Initiative com foco em Sustentabilidade e Transparência. Foi chamada de Rethink, Rebuild e Report.

Melhor do que escrever o que aconteceu por lá, é ouvir da vozes  que estiveram presentes, as mensagem que deixaram durante os 3 dias.

Se você tiver interesse em se capacitar no desenvolvimento da metodologia GRI, nos dias 22 e 23 de Junho será ministrado em São Paulo um treinamento através do Instituto  UniEthos. Clique aqui para conhecer o escopo e valores.

Compartilho aqui alguns vídeos para conhecimento de todos:

Sustentabilidade x Futebol! Um jogo com ECO em todas as Torcidas.


Agora de tarde li um texto que há tanto estava procurando.  Ele se chama Corinthians marca gol pela sustentabilidade “ , é curto e vale a pena um clic no link para saber o que o Timão está fazendo com os Verdes.

Ele mostra que o tema da gestão ambiental ou a competência da sustentabilidade, começa a marcar  gols no mundo do Futebol. Esse midiático e apaixonante esporte tem um incalculável poder de ecoar esse assunto junto aos apaixonados torcedores.  Basta imaginar quantos milhões de Torcedores, uma marca como Flamengo, poderá influenciar quando começar a se comunicar através do tema da sustentabilidade ou meio-ambiente. Sem contar, os ganhos intangíveis para sua imagem perante aos sócios, torcedores e patrocinadores.

O Futebol está alavancando várias inovações e transformações em toda indústria que lhe cerca. Elas vão desde a confecção do material esportivo até  construções de Estádios e Arenas, fazendo uso das tecnologias verdes. Contudo, seu poder de influência através dos seus Clubes e Ídolos , que tanta paixão e entretenimento exercem em seus torcedores, irá contribuir para ampliar as ações e discussões que envolvem o segmento Verde.

Sustentabilidade X Futebol

Sustentabilidade X Futebol

Todavia, para aqueles Clubes que estão trilhando o caminho da profissionalização, já podem marcar seus gols em prol da sustentabilidade esportiva e aos poucos, irem inserindo essa competência em seus estatutos ou modelos de negócios através de ações como:

  1. Plano de gerenciamento de resíduos sólidos e orgânicos, organizados por coleta seletiva de papel, plástico, metal, madeira, óleo de cozinha, pilhas, lâmpadas e orgânicos. Toda essa matéria prima, chamada no século passado de “lixo”, poderá ser vendida ou doada para cooperativas ou empresas que garantam o correto destino para indústria ou aterro;

  2. Projeto de coleta de água de chuva para regar gramados, instalações e outros fins. Quem sabe, a água das piscinas inclusive;

  3. Projeto que possa fazer uso de eficiência energética através de painéis de energia solar ou outras fontes renováveis;

  4. Desenvolver um estudo que possa estimar os índices de emissões de gases de efeito estufa gerados pela sua rotina de treinos, viagens e jogos. Conhecido esse dado, buscar ações que compensem tais emissões em conjunto com seus Torcedores;

  5. Estabelecer parcerias com seus fornecedores, incentivando que todo material esportivo possua índices crescentes de utilização de matéria prima reciclada na confecção de seus uniformes de treinos, jogos, viagens e aqueles disponíveis para venda aos seus torcedores;

  6. Buscar um espaço na camisa ou calção ou meião onde haja algum símbolo comunicando a sua Torcida o compromisso que todos devemos ter com o Meio-Ambiente;

  7. Desenvolver uma campanha que possa engajar funcionários e fornecedores em novas atitudes em prol da sustentabilidade;

  8. Engajar seus ídolos para que possam participar de campanhas, premiações e sorteios para seus Torcedores sobre temas e boas práticas que se enquadrem no tema Verde;

  9. Publicar em seus websites todas suas ações relacionadas com a sustentabilidade esportiva;

  10. Incentivar Federações e Confederações para que desenvolvam projetos sobre o tema junto aos Torcedores;

  11. Transformar cada gol em uma árvore plantada. Conheça o ” Jogando pelo Meio Ambiente ” ;

Aí estão 11 golaços que irão ajudar nossos Clubes a jogarem e ganharem essa nova partida. Se o Futebol já tem um papel de enorme influência no entretenimento dos torcedores, a partir de agora,  irá aumentar muito mais, dando essa contribuição para suas vidas e suas Empresas.

Show de Bola Verde

Show de Bola Verde


Finalizo com uma divertida sugestão para o Clube de Regatas do Flamengo buscar um espaço no seu uniforme para comunicar seu engajamento com os recursos do meio-ambiente:

RECICLAR   REDUZIR   REPENSAR   RECUSAR   e   REUTILIZAR

RECICLAR REDUZIR REPENSAR RECUSAR e REUTILIZAR

« Older entries

%d blogueiros gostam disto: