Reflexões sobre o recém aprovado projeto de lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos


Se analisado sob a ótica dos resíduos industriais, o projeto de lei em questão propõe fazer uso de ferramentas da ecologia industrial (avaliação de ciclo de vida; logística reversa; redução, reciclagem, reuso e remanufatura e ecodesign) como instrumentos de gestão pública. Esta abordagem é inovadora e representa um grande desafio, de modo que a transformação deste marco regulatório em lei poderá proporcionar futuramente grande um avanço na gestão de resíduos no País.

A abordagem da gestão e do gerenciamento de resíduos vem aos poucos saindo do controle no descarte para o controle durante todo o ciclo de vida, vislumbrando a não geração de resíduos e a qualidade ambiental dos processos, bem como a oferta de produtos sustentáveis. Contudo, para fechar este ciclo é necessário além da abordagem técnica, estratégias de cunho econômico, social e político. Dentro da esfera social convém ressaltar, a intrincada e particular relação que ocorre no Brasil entre resíduos, responsabilidade e inserção social, aspecto importante a ser considerado. Como exemplo, pode-se citar o caso das latinhas de alumínio, fonte de renda para inúmeros catadores, pessoas geralmente marginalizadas do mercado de trabalho formal.

O desenvolvimento econômico brasileiro aconteceu de forma não uniforme entre os diversos estados e até mesmo entre municípios. A distribuição geográfica das diversas atividades econômica no país criou diferentes níveis de cultura relacionados com a gestão de resíduos. É, portanto, fundamental compreender os diferentes níveis de desenvolvimento existentes em âmbito regional para que a futura Política Nacional dos Resíduos Sólidos possa ser implementada considerando uma perspectiva de sustentabilidade realista para cada região.

A gestão integrada dos resíduos sólidos, considerado no projeto de lei, já vem sendo adotada em alguns municípios e setores industriais e a partir da aprovação da lei, espera-se que esta adoção possa seja ampliada para a gestão no contexto das cadeias produtivas. Esta visão é importante nos diversos elos de uma mesma cadeia produtiva bem como na intersecção entre cadeias distintas. Neste último caso, são ilustrativos os casos de reutilização, reuso e reciclagem de embalagens, destaque especial mais uma vez às latinhas de alumínio, que coloca o Brasil como o primeiro do ranking da reciclagem deste tipo de resíduo.

As iniciativas de gestão integrada já são práticas disseminadas em países da comunidade européia, como na Alemanha, e também no Japão. No Brasil, a coleta, transporte e disposição de vários resíduos perigosos (Classe I) já são objeto de regulação específica (por exemplo: resoluções CONAMA 257, 258 e 264), porém, nem todos os estados dispõem de mecanismos de comando e controle para que a gestão de todo este processo seja feita de forma eficiente. Além disso, nem todos os estados já elaboraram seus inventários de resíduos sólidos industriais no contexto do inventário nacional deflagrado há pelo menos uma década (resolução CONAMA 313).

No Brasil as inovações em gestão por parte das empresas, via utilização de avaliação de ciclo de vida, ecodesign, reciclagem etc. são ainda tímidas, pois se situam na esfera das grandes empresas e corporações localizadas em sua grande maioria no eixo Sul – Sudeste. Em suma, como “situação – problema”, tem-se que a realidade atual da gestão dos resíduos sólidos no País, em nível de cadeias produtivas geradoras de resíduos industriais, muitos destes perigosos à saúde humana e ao meio ambiente, ainda prescinde de uma gestão integrada. Esta gestão deve enfocar aspectos técnicos, econômicos, sociais e ambientais, que, por sua vez, demandam uma abordagem que desça ao nível dos elos das cadeias produtivas, por meio da aplicação de conceitos e ferramentas de gestão como avaliação de ciclo de vida, reciclagem, reuso, ecodesign, dentre outros.

Neste contexto, é importante lembrar também que se transformado em lei, o projeto de lei em questão, terá interrelação com vários outros diplomas legais, quais sejam: a Lei 11.107/2005 – Lei dos Consórcios Públicos e seu Decreto regulamentador; a Lei 11.445/2007 – Lei do Saneamento Básico; a Lei 9.433/1997 – Lei que instituiu a Política Nacional de Recursos Hídricos; a Lei 6.938/1981 – Política Nacional de Meio Ambiente; a Lei no. 9.795/1999 – Política Nacional de Educação Ambiental; a Lei 10.257/2001 – Estatuto das Cidades; bem como resoluções Conama pertinentes ao tema.

Neste sentido, em função dessas interrelações com outras leis, a implementação da futura lei certamente não será uma tarefa fácil. Acrescente-se a isso, as diferenças culturais que têm efeito na forma como as pessoas abordam a problemática dos resíduos em nível regional. Destaque-se também a necessidade de se construir todo um aprendizado, em nível nacional, no contexto de cadeias produtivas, para que as ferramentas de gestão preconizadas pelo projeto de lei possam ser utilizadas de forma efetiva e eficiente após a aprovação da lei.

Mauro Ruiz

Mauro Ruiz

Prof. Mauro Silva Ruiz – coordenador do MBA em Gestão Ambiental e Práticas de Sustentabilidade do Instituto Mauá de Tecnologia em São Caetano. Pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT. Contato: ruiz@ipt.br

Cláudia Teixeira

Cláudia Teixeira

Profa Cláudia Echevenguá Teixeira – professora da disciplina Seminários em Meio Ambiente do MBA em Gestão Ambiental e Práticas de Sustentabilidade do Instituto Mauá de Tecnologia em São Caetano. Pesquisadora do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT. Contato: cteixeira@ipt.br

Anúncios

Quem é o Habitante Verde ?


Quem é o Habitante Verde ?

 

O Habitante Verde é mais um personagem que estamos construindo ao lado de tantos outros como Pai, Filho, Irmão, Amigo, Profissional, Companheiro, Mãe, Esposa, Marido, Avó, Criança, Terceira Idade, enfim, todos os que já fizeram, fazem e farão parte da nossa vida !

Assim como cada pessoa é uma só, tanto física como emocionalmente, esse Habitante Verde também será assim! Cada um do seu jeito e, melhor do que  isso, ele irá atuar em cada personagem das nossas vidas. Afirmo sem errar que, esse Habitante Verde de cada um será o responsável pela transformação comportamental das pessoas em prol do Planeta Terra  e em benefício do Meio-Ambiente-Inteiro. Sem esse Habitante Verde, a Terra não será capaz de continuar sendo a nossa casa! Disso não tenho a menor dúvida!

Os pensamentos e, principalmente, os gestos e atitudes do Habitante Verde irão influenciar tudo de bom que precisamos fazer nesse grande quintal que se tornou o Mundo Globalizado. Um dia alguem gritou: Independência ou Morte! Agora, o grito é Interdependência ou Morte!

Mais do que nunca a união entre Continentes, Países, Estados, Cidades, Municípios,  Bairros, Condomínios, Ruas, Empresas, Políticos, Escolas, ONGS, Escoteiros, Religiosos, enfim, todas as classes e organismos deverão intensificar sua capacidade de trabalharem juntos em prol do Meio-Ambiente-Inteiro. São todos eles que devem gritar Interdependência ou Morte! Morte de quem? Do Planeta, dos Humanos, dos Animais, dos Mares, do Ar,  das Plantas e todos os seres que ainda habitam esse grande quintal. Os que já foram extintos pela ação humana, que se faça uso do auto-perdão e bola para frente!

Estão vendo só a importância do Habitante Verde ?  Mesmo com toda essa importância, o Habitante Verde não pode se considerar melhor ou pior do que ninguém! Melhor ainda se ele conseguir gostar bastante desse tema de meio-ambiente-inteiro, sustentabilidade, gestão ambiental e não ser consumido por ele! Algumas iniciativas que receberam rótulos no anos recentes, como a turma da macrobiótica, vegetarianos e outros ditos como alternativos, foram rotulados como chatos, como radicais e outros termos! Hoje já se escuta falar no Eco-chato!  Esse Habitante Verde pode aprender com essa turma e cuidar para que seja visto como um personagem bom para todos, nem 8 nem 80. Um boa dose de bom humor é fundamental para o Habitante Verde e também de todas as cores, certo ?

Quem é o Habitante Verde ?

Quem é o Habitante Verde ?

Habitante Verde nos dias de hoje ainda é uma criança, ainda tem muito do que aprender. Porém, mesmo assim , podemos refletir como ele pode atuar no nosso dia-a-dia ou como ele pode exercer uma interdependência entre nossos personagens. Um breve lista dos personagens e onde podemos praticar o nosso Habitante Verde através deles:

Como Pai, Mãe e Educador: Além de estar ocupado em criar seus filhos no sentido de ajudá-los e orientá-los na formação do seu caráter, dos seus valores, no ato de amor de oferecer limites, dizer sim e dizer nao, de garantir seus estudos, de prover conhecimento, de estimular a prática de esportes, de incentivar o aprendizado de vários idiomas, vai ter que continuar fazendo tudo isso ao mesmo tempo que, terá que mostrar aos seus que viver nesse planeta requer novos hábitos como Reciclar, Reduzir, Reutilizar, Re-inventar, Recusar e Repensar tudo que esteja ligado aos recursos naturais do planeta. A melhor forma de fazer isso? Não sei! Sugestões de onde começar ? Dando o exemplo através dos seus próprios atos! Fazendo isso, meio caminho já foi alcançado. Depois, pode estimular que as Escolas onde estudam também promovam eventos, palestras, passeios, gincanas, enfim, uma variedade de movimentos que estejam ligados com os cuidados ao meio-ambiente-inteiro. Se puder ajudar para que esse tema passe a ser uma matéria tão importante quanto Matemática, Idiomas,  Ciências, História, Geografia e tantos outros, melhor ainda. O tempo entre,  agora e o dia que esse tema da sustentabilidade esteja listado no boletim das escolas não pode ser longo! Até hoje os Planetas visitados pelos astronautas não podem ser habitados por nós! Portando, não temos para onde fazer qualquer mudança. Incrivel né? Dizem que o Universo é tão grande, até infinito e só nos deixaram a Terra para morarmos!

Como Profissional: Você, seja dono ou colaborador,  pode propor que sua Empresa, seja ela altamente poluidora ou não, também crie programas onde possam estabelecer indicadores de desempenho de sustentabilidade, considerando o gasto atual de recursos como energia, água, combustível, papel e tudo mais que esteja afetando o nosso grande quintal. Se sua Empresa está com todos os recursos e colaboradores 100% alocados nas atividades fins, contrate gente de fora para cuidar disso para você! Comece com um ou dois indicadores que sejam mensuráveis, mas, comece.  Depois, olhe para os seus fornecedores e junto com eles comece a estimular que eles também pratiquem essa tal gestão ambiental! Lá na frente, não esqueça de chamar sua área de marketing para comunicar suas ações para os seus clientes e seu mercado,. Sabe por que ? Porque, em breve, eles irão inserir esse item como ponderação na sua decisão de comprar algo de você ou do seu concorrente . Além disso, essas ações irão aumentar o valor da sua marca e irão te ajudar na busca de novos investimentos externos!


Como cidadão, Participe na sua casa, no seu condomínio e na sua rua, de práticas e cuidados com os recursos já citados aí em cima!  No período de eleição, fique atento aos políticos e partidos que possam demonstrar interesse pela sustentabilidade e, principalmente, que estejam apresentando propostas e leis que avancem de forma clara e objetiva nesse segmento! Se coloque a disposição para compartilhar o que você já aprendeu e está praticando! Sim, crie sua lista de atitudes e troque ela com outras listas para que você aprenda mais. A lista aqui de casa começou com 5 indicadores, hoje já temos 11 e estamos com gosto de quero mais. Se quiser contribuir ela está aqui

https://fabianofaco.wordpress.com/2008/10/14/sou-um-so/:

Crie o seu Habitante Verde! Esteja pronto para responder aos seus filhos, netos e a você mesmo, o que você faz pela nossa sobrevivência no  Planeta! Não importa o tamanho e a intensidade do seu Habitante Verde. Faça do seu jeito no seu tempo!

Já foi possível terceirizar para as religiões a culpa pelos pecados! Já terceirizamos também para os políticos a culpa de outros males como falta de segurança, saúde, educação, etc! Opa, antes que eu continue, lembro a mim mesmo que os políticos estão lá por força do voto, portanto, estão lá por escolha nossa!  Dessa vez não dá para terceirizar o seu Habitante Verde para ninguém!

Um abraço sustentável,

Você procura por um Green Job ?


Habitante Verde, bom dia!

Você está procurando por algum Green Job?

GreenJobs são funções oferecidas  pelas  empresas que buscam profissionais para atividades que estejam relacionadas às áreas ambientais, responsabilidade social, voluntariado e relações com a comunidade. No campo das Empresas,  os greenjobs irão colaborar na gestão dos indicadores ambientais e no desenvolvimento de diretrizes e políticas que  sejam inseridas nas estratégias empresariais, Tudo isso irá convergir para garantir que a Empresa esteja inserida dentro do contexto do  Triple bottom line, ou seja, direcionando seu crescimento e  valorização através de indicadores sociais, ambientais e econômicos.

Alguns dizem que trata-se de uma profissão do futuro e outros do presente! Como qualquer outra atividade, essa também deve unir o conhecimento prático com o conhecimento teórico e acadêmico. Isso se aplica aos jovens que estão começando como também aos ” jovens ” que estão se reinventando.

Do lado acadêmico, compartilho com vocês uma palestra e um curso de MBA, ambos promovidos pelo Instituto Mauá de Tecnologia:

Sobre a Palestra, você pode buscar informações aqui :

http://www.maua.br/imt/imprensa/304-maua-debate-sustentabilidade-ambiental-em-palestra-aberta-ao-publico-no-dia-22-de-agosto

O MBA está previsto para começar em setembro desse ano. Todos detalhes estão no site:

http://www.maua.br/cursos-pos-graduacao/index/mba-gestao-ambiental-praticas-sustentabilidade

MBA Gestão Ambiental e Práticas de Sustentabilidade

MBA Gestão Ambiental e Práticas de Sustentabilidade


 

Presidente Sarney, Recicle o Senado! Reduza Custos! Reutilize as Pessoas!


Presidente Sarney,

Lhe escrevo apenas como cidadão, mesmo não sendo seu eleitor! Mas lhe tenho apreço! Lhe peço e lhe rogo : Vá para o seu Maranhão!

Fique na sua terra natal! Cuide de sua Filha! Dê colo para os seus netos e curta sua Família! O Senhor tem uma enorme carreira política de serviços prestados ao Brasil. O Senhor merece esse descanso e nós merecemos um Senado um pouco melhor! No Maranhão o Senhor poderá voltar a escrever. De bom também, sabemos que  essa sua merecida retirada do front irá enfraquecer o pacto entre PT e PMDB, não é  mesmo ?

Temos plena convicção que as estripulias e peraltices que submergiram do fosso do Senado para o topo das manchetes, estão por lá por tempos incontáveis, mas, sabemos também que, quando donos, recebemos o ônus e o bônus. Assim, não tem jeito, e, ficando por lá,  seu nome será eternizado nesse mais novo escândalo.

Sabemos também que o seu gesto inteligente, ao deixar o Senado, irá oxigenar nossa oposição que parece hipnotizada, embalsamada e inerte perante ao populismo e assistencialismo do nosso Sempre Altaneiro Torneiro. Do jeito que está, não vejo ninguém na frente de Dona Dilma. Sua saída irá nos presentear com a queda do pacto entre PT e PMDB e, assim, sacudir a oposição! Se ela existe, está invisível não é mesmo ?

Tenho certeza que novos livros e obras fazem parte dos seus desafios. Chegou a sua hora!

Entrando na onda Verde, reinvente o Senado Presidente, seja um Habitante Verde e :

Recicle tudo que for possível por lá, troque pessoas, papelão, poderes e paradigmas!

Reduza custos, corte despesas, premiações excessivas, mordomias. Reduza em todas as linhas de despesas. Corte na carne e demita os familiares. Imploda o nepotismo.

Reutilize os familiares nas Empresas dos Amigos. É! Aquelas mesmas Empresas que prestam Serviços para o Governo!

Veja que poucos exemplos da Sustentabilidade podem ajudá-lo nessa saída triunfal desse Senado doente e contaminado.

Antecipo os meus agradecimentos e meu apoio para sua sábia decisão em deixar esse cargo que nada mais irá lhe acrescentar!

O Maranhão lhe aguarda de braços abertos!

Auto-Excomunhão


Auto-Excomunhão

Procurei agora no site do vaticano ou na cnbb um procedimento de auto-excomunhão. Não achei. Fui no google e só achei poucos artigos de pessoas prestando sua posição de ” auto-excomungado ” frente à posição da igreja católica em se manifestar a favor do ato do padrasto, que covardemente, violentou uma menina e ainda deixou nela uma gravidez de gêmeos.

Será que a igreja será processada pela justiça por estar incentivando essa prática ? Sim, foram excomungadas as pessoas que participaram do processo de tentar salvar a vida da menina e não excomungado foi o padrasto.

Assim, deixo a sugestão ao vaticano para que as pessoas possam se auto-excomungar por conta própria. Pode ser um simples espaço na sua web onde possa ser possível colocar identificação e motivo da auto-excomungação. Amplio que a sugestão do ato possa ser reversível também!

Reversível por que? Sim. Temos que acreditar que um dia, caso o planeta continue a existir, que a igreja possa refletir sobre seu atual papel na humanidade e que seja capaz de evoluir e deixar apenas como lembrança suas posições medievais em relação ao atual estágio dos seres humanos. Igreja é uma instituição dos seres humanos, querem eles acreditar nisso ou não. Portanto, está passível sim de refletir sobre suas posições!

Posições como essa que está dando ibope nos jornais e na tv e outras como sua posição em relação ao divórcio, em relação ao tratamento as Mulheres, o fatos dos padres não poderem casar ou ter sexo normalmente. Digo normalmente, pois parte deles praticam esse sentimento normal de nossa fisiologia por dentro de suas batinas, dos seus castelos e lá também encontramos uma parte dessa praga que começa a ser combatida – a pedofilia.

Poderia alongar esse parágrafo com temas sobre sexo antes do casamento, campanha contra camisinha e poderia esquentar lembrando dos temos que pessoas eram queimadas vivas e por ai vai.

Mas já chega! A idéia é incentivar e torcer que a igreja possa refletir sobre o que as pessoas precisam dela e não manter-se em posições medievais e que não mais condizem com atual maneira de viver da humanidade.

As poucos que irão ler esse texto, peço o exercício do perdão e compaixão ao arcebispo de Olinda que apenas cumpriu um procedimento da instituição da qual ele escolheu participar. Enfim, muitos fiéis devem estar se afastando nesse momento, com vergonha desse posicionamento. Uns ficarão confortáveis de declarar outros não! Outras terão o entendimento que nenhuma religião tem procuração para falar em nome de Deus e, poderão seguir suas vidas tendo fé, bom comportamento e senso de autoconhecimento sem serem sócios de nenhuma delas. Outras, poderão migrar para outras religiões, porque simplesmente sentem essa necessidade de juntar Fé com religião.

O mais chato desse texto é que eu não vou fazer nada pela menina, nem o governo e nem a igreja! Ou , quem sabe estou me precipitando e as chaves dos cofres do vaticano irão se abrir para custear o tratamento médico e psicológico que essa menina vai precisar para se recuperar dessa trauma e também pagar bons advogados para que o padrasto possa ficar pelo resto da sua vida isolado da sociedade e trabalhando para custear suas despesas de moradia e alimentação numa prisão.

Parabéns aos médicos que cumpriram um mandamento, dito pela igreja, de Deus:

Não matarás.

Ao interromper uma gravidez de risco físico e emocional de uma menina que não possui corpo físico e emocional para gerar e cuidar de duas crianças, iguais a ela. Deram uma possibilidade de vida para essa Menina.

Assim como não me sinto inimigo dos outros times por ser Flamengo, não sou inimigo de nenhuma religião. Afinal, o papel delas é nos ajudar a nos tornarmos Seres melhores. Apenas estou torcendo para que a igreja se torne uma entidade mais flexível e inserida no contexto atual.

Um boa dose de:

Reciclar pensamentos e dogmas;
Reduzir regras, controles e preconceitos e
Reutilizar suas forças para entender o atual estágio da humanidade;

Podem, juntos, fazer das igrejas, entidades mais voltadas para as Pessoas! Seria sua enorme contribuição para o Desenvolvimento Sustentável.

Sou um só


‘ Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E, por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso.’

‘ O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor.’

Por Madre Teresa de Calcutá

Já havia lido esse texto outras vezes, porém, dessa vez, ele inspirou uma cobrança e uma reflexão voltada para o lado do fazer, do agir e do colher resultados.
Tirei o texto de um dos avisos que recebo da equipe de gestão do condomínio onde moro e, resolvi começar com ele uma lista de ações.

Enquanto os banqueiros do primeiro mundo brincam de Banco Imobiliário na economia Globalizada e, para corrigir os rumos, novamente, a população é convocada para consertar os resultados dessa brincadeira. Cabe lembrar que essa mesma sociedade escolhe os Governos e conseqüentemente seus métodos de monitorar e legislar esses procedimentos. Portanto, nada mais justo que a mesma sofra as conseqüências dessas escolhas. Também, enquanto não criamos a Globalização dos Continentes, hoje inauguro a nossa lista de pequenas contribuições para o uso racional dos recursos da Terra. Muitas delas partiram da simples adesão em relação as ações do meu condomínio. Vamos até elas :

– 1 – Instalação do dispositivo Dual Flux em todas as nossas 5 (cinco) bacias sanitárias(REDUZIR)

Esse dispositivo regula a quantidade de água utilizada conforme a necessidade de despejar dejetos líquidos (menos água) ou dejetos sólidos (mais água). O mesmo procedimento está gerando economia tangível nas despesas de água do condomínio, bem como ganhos intangíveis pois todos os dispositivos foram instalados com “ajuda” das crianças, para que pudessem assimilar a importância do gesto e, principalmente, porque eles irão colher os frutos lá na frente.

– 2 – Instalação de relógios nos banheiros (REDUZIR)

A idéia aqui é ajudar a controlar o tempo de mais ou menos entre 5 (cinco) até 8 (oito) minutos para deixar a torneira aberta e poder tomar um bom banho ao mesmo tempo que se faz racional o uso da água.

– 3 – Não receber mais os saquinhos plásticos de super mercado e/ou lojas(RECUSAR)

Esses saquinhos são muito difíceis de serem decompostos e, como conseqüência disso, altamente poluentes. Basta você substituir por sacolas de uso continuo ou levar com você e no seu carro, sacolas de pano.

– 4 – Montar blocos com as folhas que sobram das impressões(REUTILIZAR)

Primeiro, devemos evitar ao máximo fazer uso da impressão. Porém, sendo necessário, ficar atento aos papeis que sobram para deles montarmos blocos que sirvam de rascunho para uso no dia-a-dia.

– 5 – Coleta de Óleo de Cozinha Usado(RECICLAR)

Levando em conta que 1 (hum) litro de óleo de cozinha usado pode: contaminar algo em torno 10.000 (dez mil) litros de água limpa, ficar preso no encanamento (causando entupimentos nas tubulações e, se vazar para o solo, pode impermeabiliza-lo e aumentar a possibilidade de enchentes), nos rios e represas fica na superfície (impedindo a entrada da luz solar). Assim, através de outra iniciativa do condomínio, começamos a não mais despejar o óleo usado pela pia e sim, colocando numa garrafa tipo PET, daquelas mais fortes e firmes como usadas com leite, amaciante e água sanitária e que também possuem tampas mais confiáveis e gargalos mais largos, que evitam o uso do funil. Vamos encher um litro de cada vez e colocar nos locais apropriados no condomínio.

No momento de descartar seu litro de óleo, de preferência de fazê-lo com a participação das crianças, para, de novo, mostrar que os benefícios serão colhidos por elas e eles.

– 6 – Substituir as pilhas normais por pilhas recarregáveis(REUTILIZAR)

Compartilho 3 motivos para refletirmos sobre essa mudança de hábito, onde você pode optar pela razão, pela economia financeira ou pela sua consciência.

Lembrando também que, com tantos aparelhos eletrônicos em nossas casas, carros, bolsas, oportunidades não irão faltar para você praticar esse novo hábito:

  • Economia:
  • No princípio e no fim das contas elas são muito mais baratas! Quando a carga da pilha comum chega ao fim, seu dinheiro vai para o lixo junto com a pilha. Com as pilhas recarregáveis você pode promover novas recargas e seguir usando. A maioria das pilhas recarregáveis disponíveis hoje no mercado já anunciam um tempo de vida de 1.000 recargas. Faça suas contas e use seu dinheiro de forma inteligente!

  • Razão:
  • As pilhas recarregáveis duram muito mais! As antigas pilhas comuns foram desenvolvidas para equipamentos que consomem energia lentamente, o que não é o caso dos equipamentos eletrônicos mais modernos, como câmeras digitais e alguns GPSs. Já as pilhas recarregáveis foram desenvolvidas com estas necessidades em mente e conseguem armazenar muito mais energia para operar por mais tempo. Por exemplo, dependendo das condições de uso, a carga de uma pilha recarregável pode durar de 2 a 4 vezes mais que uma pilha alcalina comum. Isso significa que se sua câmera digital tira 20 fotos com uma pilha comum, com a pilha recarregável você pode tirar de 40 a 80 fotos!

  • Consciência:
  • É uma atitude eco-sustentável! As pilhas, sejam elas recarregáveis ou comuns são fabricadas com elementos químicos nocivos à natureza e, por isso, não devem ser jogadas fora e sim recicladas. Como vimos acima, uma pilha recarregável pode durar 2 ou 4 vezes mais que uma pilha comum. Se considerarmos pilhas recarregáveis com capacidade anunciada de 1.000 recargas, veremos que uma única pilha recarregável equivale a até 4.000 pilhas comuns. Ou seja, o uso de uma única pilha recarregável trás benefícios equivalentes à reciclagem de milhares de pilhas comuns!

    Concluindo, não podemos esquecer que Pilhas recarregáveis ou comuns contêm elementos químicos nocivos à natureza e, quando uma pilha não é descartada adequadamente, esses elementos químicos irão vazar e contaminar o solo, nascentes d’água e diminuir a vida útil do Planeta Terra.

    Hoje em dia você pode descartar suas pilhas em bancos, shoppings, loja de celulares, de equipamento eletrônicos, farmácias e outros locais. Basta procurar.

    Se mesmo assim, na sua localidade não há locais que saibam como descartar pilhas, procure entrar em contato com a sua Secretaria de Meio-Ambiente da Prefeitura para obter mais informações ou vai no Google que você acha por lá também.

    – 7 – Substituir toda correspondência de papel por eletrônica (RECUSAR)

    Creio que a maioria deve receber em suas casas pilhas e pilhas de cartas, promoções, propagandas dos seus fornecedores e também de empresas que você nunca ouviu falar ou nunca teve nenhum tipo de relacionamento. Algumas dessas correspondências você não chega nem a abrir e vai direto para o lixo.

    Aos poucos, procure enviar um email para o remetente ou fazer uma ligação telefonica solicitando que essa correspondência não mais seja enviada para sua residencia ou até mesmo seu escritório e que você possa receber todas elas no seu e-mail. Com isso você irá promover uma enorme contribuição para redução do lixo e também redução dos custos dessas Empresas com impressão de material em papel. Caso essa Empresa continue com o procedimento de envio de papel, devolva para os Correios.

    – 8 – Reeducação Alimentar (REPENSAR & RECUSAR)

    Aqui me deparo com um belo exemplo relacionado com um ditado ou provérbio tão antigo quanto verdadeiro: Nós só aprendemos, na grande maioria das vezes, através do sofrimento! Simples assim ?
    Em Julho de 2008, no auge dos seus 85 anos, vividos com ótima saúde física, mental e espiritual, minha Mãe e de meus irmãos, nos trouxe a surpresa e uma visceral noticia de um câncer de cérebro! Desse dia em diante, tive que, além de sofrer, estudar para poder conversar e me relacionar com os médicos. Nesse período li três vezes o livro – Anticâncer – Prevenir e Vencer usando nossas defesas naturais de David Servan – . Além de ter lido ainda pude dar de presente para alguns Seres Amados, como também, deixei sem querer, próximo de outros Seres Amados que eu sabia que iriam ter resistência para ler.
    Até para dois dos médicos que tiveram com ela, eu dei de presente!
    Sim! Porque médicos entendem de doenças, remédios e tratamentos e não de sáude alimentar. Não é culpa deles, pois não estudam nutricionismo na faculdade.

    Desse livro e de outras leituras, tomei a decisão de cuidar e me comprometer mais com minha alimentação, dos meus filhos, da minha mulher, enfim, da minha casa.

    Adotei assim, o hábito de adquirir e consumir produtos orgânicos!

    Junto com ele, também tive a consciência que somente irei ajudar os amigos através do meu exemplo e não dizendo para comerem isso ou aquilo. Fato: Todos nós temos o livre arbítrio, consciente ou inconsciente, responsável ou irresponsável de saber o que iremos ou não inserir na nossa rotina alimentar!

    Com 2 filhos lindos e deliciosos, preciso acreditar que haverá tempo hábil de desacelerarmos o já avançado processo de destruição do Planeta ( água, energia, terra e habitantes ). Assim, se estamos reciclando, reduzindo, reinventando e reutilizando os recursos não renováveis, porque não trazer esse conceito para nossa rotina alimentar, para nossas escolhas quando em frente aos cardápios ou quando estamos pilotando nossos carrinhos de supermercado.

    – 9 – Adquirir livros em Sebo (REUTILIZAR)

    Na semana que passou, a Escola do meu filho nos enviou um aviso via papel (sim, não chegou através de um email) indicando que um novo livro seria usado para os próximos meses para sua leitura e práticas de exercícos em sala e, nesse mesmo aviso (via papel e não por email) indicava a opção de comprar esse mesmo livro, novo, por R$ 20,00. Aproveitei essa oportunidade de contar para o meu pequeno sobre a existência dos Sebos e que nós dois teríamos a oportunidade de praticar o R de REUTILIZAR! Ele comprou a idéia e juntos navegamos pela http://www.estantevirtual.com.br/ e encontramos muitas opções para o mesmo livro indicado pela Escola! Fechamos com a Loja/Sebo Cidade dos Versos por R$ 10,00 (preço do livro e frete) e o livro chegou no prazo prometido e com a qualidade indicada no momento da compra! Agora deixo que cada um faça o cálculo dessa transação! Foi apenas a mera e simples economia de R$ 10,00 ou um gesto visando esse novo mundo que não resiste ao consumo desenfreado ? Qual o valor do gesto se muita gente ressusssitassem os Sebos ? Menos livros seriam re-impressos ? As grandes editoras iriam baixar seu preços ?

    – 10 – Desligar todos os equipamentos que ficam na função “stand-by ” (REDUZIR & REPENSAR)

    Hoje em dia, ao lado de uma TV tem sempre um vídeo-cassete, um home-theater, um gravador de dvd e outros equipamentos e, todos eles tem algo em comum, além de serem responsáveis pela grande parte do nosso entretenimento ( em alguns casos, embotamento), todos funcionam com a função stand-by! Sim, falo daquela luz vermelhinha que, ao comando do controle-remoto, liga e desliga ao nosso bel prazer. Fácil né? Pois é, levando em conta que o mar não está para elefantes e que energia é um bem que se torna escasso e caro, convoco a todos para usarem essa função de forma equilibrada! Aqui em casa, instalamos réguas de tomadas com botão liga-desliga e, durante a noite, durante passeios longos longos durante o dia, desligamos as réguas de tomadas e com isso os equipamentos deixam de consumir energia! Não vale ser essa dica, somente contando com a energia que você vai economizar na sua casa. Sua conta deve considerar o fato que a grande maioria dos Humanos possam adotar esse hábito. Essa conta sim, faz um sentido econômico! Só você usando a função de stand-by de forma consciente, você terá pouca economia financeira mas um ganho significativo na educação dos seus filhos!

    – 11 – Substituição das lâmpadas tradicionais por lâmpadas fluorescentes compactas (REDUZIR & REPENSAR)

    As lâmpadas fluorescentes compactas consomem até 80% menos energia do que lâmpadas elétricas convencionais. Cada lâmpada fluorescente compacta que você utiliza, permite reduzir emissões de CO2 em até 0,5 ton (durante toda a sua vida útil)! Ou seja, além de economizar na conta da sua Operadora de Energia Elétrica, você ainda participa do combate ao efeito estufa. Nesse mês conseguimos substituir 100% das lâmpadas em nosso lar! Isso significa que você pode manter sua lâmpada comum onde ela está, porém, no dia que ela não funcionar mais, troque por uma lâmpada fluorescente!

    Desenvolvimento Sustentável: Identidade Brasileira e Desenvolvimento


    Espaço UNIP – Desenvolvimento Sustentável: Identidade Brasileira e Desenvolvimento

    A idéia desse artigo é desenvolver uma reflexão sobre o filme apresentado no dia 2 de Setembro, chamado Encontros e Desencontros e Invenção do Brasil, com base nos pensamentos e idéias de Darcy Ribeiro.

    Nosso Darcy já explorou com muita sabedoria esse período do processo de invenção do Brasil, onde três distintas características de pessoas, são elas os Índios Brasileiros, os Negros Africanos e os Brancos Europeus se encontraram, se misturaram, se procriaram e, desses encontros e misturas de DNA, de culturas, de corpos e de almas, deram seqüência ao povo Brasileiro existente nos dias atuais.

    Parte daqui a minha reflexão, onde minha intuição provocou uma comparação sobre essa mistura de pessoas que fecundou o Brasileiro versus uma visão mundial, onde os demais povos demonstram, até hoje, uma capacidade enorme de não conviver com as diferenças, de se não harmonizarem entre si e com isso, de não conviverem pacificamente.

    Se o texto do filme nos toca com a utopia dessa mistura, com essa mesma utopia me levo a imaginar que a equação complexa que fecundou o Brasileiro, não poderia ser o caminho para união dos povos nos demais Continentes visando o objetivo de refletir sobre o modelo Capitalista que está gerando as enormes e irreversíveis conseqüências relacionadas com a equivocada distribuição de renda, a disparidade dos acordos comercias entre as nações ricas, as que estão em desenvolvimento e as que estão em processo de extinção, vide exemplos de países e cidades no Continente Africano, que estão solapadas pela fome de alimento, fome de saúde, fome de dignidade e outras fomes.

    Obviamente, como conseqüência dessa quebra de paradigma do Capitalismo para outro modelo que tivesse como ambição uma maior distribuição de renda, teria como conseqüência natural um plano efetivo e diretamente relacionado com as rápidas e contundentes ações que possam gerar indicadores que o Planeta Terra poderá sobreviver ao seu principal inimigo, os Homens e Mulheres.

    Talvez fosse o caso de investigar sobre as diversas óticas, sejam elas culturais, biológicas, antropológicas, históricas, enfim, todas as formas de estudos para se poder montar essa equação e poder aplicá-la em prol da Humanidade. Assim, toda verba destinada as guerras seriam de imediato direcionadas para um projeto de sobrevivência das Nações em extinção e, também, todas as riquezas excessivas, também direcionadas para um projeto mundial onde iria visar a tentativa de ainda ser possível o Salvamento da Terra.

    A grande pergunta está na nossa capacidade de usar nossas faculdades que nos diferem dos nossos outros companheiros e vizinhos como os Leões, Elefantes e Tartarugas e de fato mostrar que a faculdade espiritual conquistada pelos Homens e Mulheres possa ser manifestada nesse momento crucial da nossa existência.

    Fabiano Facó
    São Paulo, 9 de Setembro de 2008.
    Texto para Aula de Desenvolvimento Sustentável – Professora Irinéia Franco.

    Newer entries »

    %d blogueiros gostam disto: