Os ecopontos estão cumprindo sua função socioambiental ?


Os ecopontos da cidade de Rio Claro são iniciativas públicas que visam a dar uma destinação final ecologicamente correta aos resíduos neles descartados. Segundo o folheto da prefeitura, são aceitos, nesses locais, pequenos volumes de resíduos da construção civil, resíduos eletrônicos, móveis velhos, resíduos da linha branca, papelão, papel, plásticos, vidros e metais, pneus e lâmpadas fluorescentes por munícipes.

                Considerando-se os apelos ambientais da atualidade, bem como a recente aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305), é importante que o governo articule mecanismos eficazes em prol da promoção da sustentabilidade e consciência ambiental. Cabe a ele prover estímulo à ecoeficiência e ser modelo para todos os agentes envolvidos na responsabilidade compartilhada pelos resíduos sólidos.

                Como integrante do Parlamento Jovem 2011 e pesquisadora júnior em gestão ambiental, venho acompanhando a situação dos três primeiros ecopontos públicos de Rio Claro desde o ano passado: o do Cervezão, o do São Miguel e o do Jardim São Paulo. A infraestrutura e operacionalização dessas iniciativas vêm sendo melhoradas pela Sepladema, mas isso nem sempre basta para garantir destinação final ambientalmente adequada aos resíduos neles descartados.

                Dentre as condições observadas nos três locais que mais contradizem seu suposto caráter “ecologicamente correto” destaca-se a disposição sem critério técnico adequado de lâmpadas fluorescentes, ao ar livre, nas proximidades de resíduos de grande porte. Não raro, lâmpadas quebradas foram observadas nesses locais, apresentando riscos à comunidade, devido à liberação de gás de mercúrio. Além disso, a falta de especificação quanto à tipologia dos resíduos que podem ser descartados resulta numa disposição caótica dos demais resíduos nas caçambas, misturados com podas de árvores e resíduos orgânicos.

As pilhas e baterias descartadas nos ecopontos, consideradas resíduos perigosos, acabam indo parar no aterro sanitário da cidade, em desacordo com as medidas preconizadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos. Essa prática inadequada também contradiz a Resolução 401 do Conama, pois desconsidera a toxicologia e periculosidade desses resíduos que resultam em riscos para a saúde pública.

            Em duas visitas nos últimos 10 meses aos ecopontos, foi possível observar “sem tetos” utilizando estas instalações como abrigo, convivendo em meio a resíduos de todo tipo, sem a menor noção dos riscos.

Imagens do Ecoponto Texto Maira

Imagens do Ecoponto Texto Maira

            Aproveitando que acabamos de passar por novo processo eleitoral, com novos mandatos de Prefeitos e Vereadores, é importante chamar a atenção para o problema levantando as seguintes questões:

(1) Os ecopontos estão cumprindo sua função socioambiental?

(2) Os recursos investidos em suas construções, da ordem de cem mil reais cada, foram bem empregados?

Cabe à população rioclarense refletir sobre essas questões e ficar atenta para que “desacertos políticos” como este não se repitam na nova gestão que se descortina.

Maira Rubini Ruiz é aluna do 2º ano do Ensino Médio do Colégio Koelle. Bolsista de Iniciação Científica Júnior do CNPq em 2011 e 2012 e pesquisadora júnior em gestão ambiental. Membro do Parlamento Jovem 2012 e finalista da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), Genius Olympiad e Mostratec no ano de 2012. Para interagir com Maira, você pode acessar seu facebook https://www.facebook.com/mairarruiz ou email para mairarruiz@hotmail.com

Maira Ruiz

Maira Ruiz

Anúncios

Mutirão do Resíduo Eletrônico chega à Loja C & C do Morumbi


Mutirão do Resíduo Eletrônico chega à Loja C&C do Morumbi

A  loja da C&C Casa e Construção, localizada na Av. Dr. Chucri Zaidan, inicia em 17 de outubro a campanha de coleta de resíduo eletrônico. As pessoas podem levar à loja aquele equipamento que não funciona mais. Todos os materiais serão processados e seus componentes receberão a destinação correta. Desde o início da Campanha, na loja da Marginal Tietê, já foram coletados mais de cinco toneladas (5.000 Kg) de material eletrônico. O objetivo agora é estender a coleta para outras lojas da C&C. Além da Campanha a C&C, em parceria com a Agência Conversa Sustentável e com a Reciclo Metais, irá promover um Workshop sobre sustentabilidade para empresas que ficam no entorno da loja. O intuito é compartilhar as experiências e os resultados com outras organizações.

Mutirão do Resíduo Eletrônico chega à Loja C&C do Morumbi

Mutirão do Resíduo Eletrônico chega à Loja C&C do Morumbi

Aquele computador que não funciona mais, celulares que iriam para a lata de resíduos e todos aqueles aparelhos eletrônicos que chegaram ao fim de sua vida podem ser levados à loja. Essa iniciativa faz parte do Programa de Sustentabilidade C&C. A idéia é recolher materiais eletrônicos que possivelmente iriam ser descartados de maneira incorreta, indo parar em lixões e causando muito mais impactos. A coleta visa conscientizar as pessoas sobre a importância de dar ao resíduo eletrônico a destinação correta. Esses equipamentos não podem ser tratados da mesma forma que o resíduo comum. Os aparelhos eletrônicos contêm partes que podem ser reutilizadas e recicladas. Além disso, contém metais pesados e outras substâncias que podem contaminar o solo. Ao invés de acumularem-se nos lixões e provocarem diversos problemas os equipamentos que forem coletados na loja C&C vão receber um novo ciclo de vida. Receberão os devidos cuidados por uma empresa especializada nesses processos, a Reciclo Metais, e seus componentes serão reciclados, o que diminui o impacto ambiental, gera empregos e renda. O Programa de Sustentabilidade C&C: Recolhimento de Resíduo Eletrônico visa promover os valores da sustentabilidade e a conscientização de seus clientes em dar uma destinação correta para o Resíduo Eletrônico. A ideia é que a partir de 2012 sejam implantados pontos fixos de coleta.

Mutirão do Resíduo Eletrônico chega à Loja C&C do Morumbi

Mutirão do Resíduo Eletrônico chega à Loja C&C do Morumbi

Qualquer pessoa pode depositar o resíduo eletrônico na loja sem custo algum. Em seguida a Reciclo Metais, irá coletar e processar estes materiais. Ao final do processo, para garantir que todo o equipamento recebeu o tratamento correto, a empresa emitirá o Certificado de Destinação Adequada. Este certificado ficará exposto na loja para que qualquer interessado tenha acesso.

Os materiais a serem coletados são:

  • Computadores (Monitores, Mouses, Teclados, CPU’s);

  • Servidores; Notebooks; Modens; Hub’s;

  • Telefones Celulares (Aparelhos, Carregadores);

  • Impressoras, Scaners;

  • Aparelhos Telefonia Fixa; Fax; Microsystem;

  • DVD’s; Vídeos Cassetes;

  • Câmeras (Vídeo e Fotográficas);

  • Cabos; Estabilizadores; Nobreaks; Roteadores;

  • Home Theaters; Projetores; Calculadoras;

  • Agendas Eletrônicas.

Sobre a C&C:

A C&C Casa e Construção, empresa 100% nacional, conta atualmente com 40 unidades distribuídas pelos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Paulo são 32 lojas na capital, Grande São Paulo, interior e baixada santista. No Rio de Janeiro são oito lojas, seis na capital do Estado, uma em Niterói e outra em Duque de Caxias.

A Loja C&C Casa e Construção fica localizada na Avenida Dr. Chucri Zaidan, 230. Vila Cordeiro – São Paulo.

Mapa de chegada http://g.co/maps/z8qws

O Resíduo Eletrônico será recolhido de segunda a sábado das 8h às 23h.

Mais Informações: (11) 2501 4064

Comentários do Habitante Verde :

Esse texto é da Vivian Blaso da Conversa Sustentável e sua publicação aqui foi autorizada por ela com intuito de divulgar essa campanha que tem papel fundamental na nossa educação em relação a coleta e descarte dos resíduos eletrônicos. A C&C demonstra aqui a importância do setor varejistas em comunicar o tema da sustentabilidade com seus clientes e, mais do que isso, demonstra estar alguns degraus a frente da Política Nacional de Resíduos Sólidos, indicando que o setor privado, junto com os consumidores, serão os principais atores nessa nova era de pleno ativismo.

Em homenagem a PNRS e também por acreditar que lixo é o nome da nossa atitude quando não tratamos resíduos como matéria prima ou descartamos adequadamente, o texto no Habitante Verde foi chamado de ” Mutirão do Resíduo Eletrônico chega à Loja C&C do Morumbi “

De preferência, leve seu filho e sua filha, será uma ótima e lúdica oportunidade de exercer sua obrigação de bom educador !!

%d blogueiros gostam disto: