Projeto 21 do Spoleto une a fome com vontade de comer sustentavelmente


Para quem ainda não conheçe, o Projeto 21 do Spoleto está demonstrando a importância do segmento do varejo de alimentação, quando se trata de contar com a competência da sustentabilidade na sua estratégia. Um projeto dessa dimensão, seja de investimento e tempo, somente trará resultados se a sustentabilidade estiver presente na estratégia da Empresa. Fazendo parte dela, os benefícios vão desde ganhos de escala, gestão, redução de custos, aderência dos colaboradores e cooperação da sua cadeia de fornecedores, e, tão importante quanto,  o ganho intangível da sua imagem perante sua rede de stakeholders.

O grande desafio do Spoleto é  fazer chegar essa informação aos seus consumidores e parceiros. No caso dos consumidores, vale investir nos espaços das próprias lojas, nas bandeijas, nos pratos, nos copos, cardápios e qualquer outro espaço que se proponha a se comunicar com seu público alvo.

Está crescendo gradativamente o número de consumidores que compram produtos e serviços, pensando em preço, qualidade, rapidez, atendimento e agora, consideram também se o seu fornecedor ofereçe boas práticas na sua relação com os ativos água, ar, solo, energia, matéria prima e  resíduos. É o caso de unir a fome com a vontade de comer de forma sustentável.

Olhando para os Shopping Centers como parceiros, as lojas Spoleto que estão aderindo ao Projeto 21 passam a se tornar um ponto de referência e um ponto de honra para os Shoppings que poderão oferecer esse tipo de tecnologia e informação para os seus clientes. Sem contar que os vizinhos da praça de alimentação, podem se inspirar e se motivarem a desenvolver seus próprios Projetos Sustentáveis.

A partir daqui compartilho com os Habitantes Verdes um texto que recebi da assessoria de imprensa, que mostra as inovações e conquistas do Spoleto através das medidas que foram tomadas em suas lojas :

O restaurante Spoleto do Pátio Brasil acaba de inaugurar sua nova estrutura sustentável:

Baseadas no Projeto 21 do Spoleto, as reformas trazem inovações como:

O Projeto 21: Em maio de 2010, o Spoleto lançou seu modelo de negócio sustentável, que já responde pelo aumento de 7% na margem líquida dos restaurantes em operação no país, inclusive a primeira flagship recém-inaugurada no Rio Sul Shopping. A projeção da maior rede de culinária italiana do país é chegar a 80 unidades do modelo Spoleto 21 até o final de 2011 (35 novas e adaptação de 20 já abertas) e alcançar uma economia/redução de:

–         607.680 kg de gás;

–         74.880 m3 de água;

–         7.200 litros de produtos de limpeza não lançados na natureza;

–         640 funcionários com aumento salarial de 50%.

 Quais são as mudanças efetivas?

Fogão – Fornecedor: Topema: o fogão a Gás foi substituímos por sistema de indução. Desta forma, reduz o calor da loja (melhor condição de trabalho para os funcionários) e não realiza mais queima de CO² (não há mais fogo na loja), reduzindo também o risco de acidentes como queimaduras de funcionários e incêndio.

Exaustão – era usada a exaustão convencional (com dutos e coifa) e atualmente foi substituída por sistema de exaustão embutida no próprio fogão de indução. Como a operação do Spoleto não utiliza nenhum tipo de frituras, o modelo de exaustão tipo ventless e carvão ativado  atende perfeitamente, não sendo necessária a utilização de recursos naturais para execução de todo o material de exaustão.

Pista fria (refrigerada) – Fornecedor: Ppienk: alteração do modelo de pista fria – maior e com divisórias para os recipientes – para que possa otimizar as atividades de reposição dos produtos no atendimento e garantir a temperatura adequada nos produtos/ingredientes.

Ingredientes pista fria – hoje 70% dos produtos já chegam processados ou prontos aos restaurantes, evitando manuseio na própria loja.

Utensílios – eram utilizados Bowls (potinhos de porcelana brancos, em tamanho pequeno) para expor os ingredientes da pista fria. Foram substituídos por GN’s – outro modelo de recipiente usado na indústria de restaurantes. Os novos são em tamanho maior, não quebram e têm mais facilidade na operação por reduzir a reposição, ter uma melhor troca de ar frio e melhor visual para os consumidores.

Máquina de lavar louça – Fornecedor Nepper: controle e economia de água e diminuição dos produtos de limpeza. Rapidez no processo de lavagem

Frigideiras – Fornecedor Tramontina. Aumento no número de frigideiras, pois devido ao novo processo de lavagem, as mesmas são acumuladas para evitar desperdício de água.

Operador 21 – funcionários multifuncionais (registro em carteira como operador de loja ou atendente): todos os funcionários são treinados para exercerem múltiplas funções. Também devido às mudanças relatadas acima, diminuiu o escopo de trabalho principalmente da equipe interna do restaurante (responsável pela lavagem e processamento dos produtos, por exemplo).

Sobre o Spoleto – Líder no segmento de culinária rápida italiana no Brasil, o Spoleto – maior empresa do sistema Umbria – possui atualmente 301 restaurantes, 273 no Brasil e 28 no exterior (26 no México e duas na Espanha). Presente em 23 estados brasileiros e no Distrito Federal, a maior concentração de lojas está em São Paulo (92) e no Rio de Janeiro (60).

Operação Spoleto

Operação Spoleto

Loja do Spoleto

Loja do Spoleto

Anúncios

A Sustentável leveza de um Shopping


Todos os líderes e formadores de opiniões afirmam e confirmam que os supermercados possuem um papel preponderante no tema da sustentabilidade. Seu poder de comunicação com seu imenso público consumidor, atinge um raio de abrangência como poucas indústrias podem alcançar ou medir. Não foi por falta de bons motivos, que se tornaram referência no tema da sustentabilidade, provocando inúmeras ações e projetos diretamente relacionados com a transformação do seu relacionamento com seus ativos como: água, energia, ar, solo, matéria prima e resíduos. Pularam na frente da Política Nacional de Resíduos Sólidos e se tornaram atores na educação sobre coleta seletiva, reciclagem e correta destinação. Também não deixam de lado, projetos de responsabilidade social empresarial. Com certeza, cativaram uma grande fatia de consumidores que se re-educaram e colocaram o tema da sustentabildiade na sua escolha de onde comprar e o que comprar.

Já é fato consumado a busca dos grandes supermercados por aumento de vendas, fidelização dos clientes e aumento do seu público, pelo simples fato de terem incorporado a sustentabilidade como parte integrante de sua estratégia. Melhor do que isso, estão inspirando esse direcionamento junto aos seus fornecedores, ao mesmo tempo que aprendem com eles também.

Refletindo sobre esse desafio, por que não pensar e buscar inspiração para indústria de Shopping Centers, já que estar dentro de um Shopping é mais agradável do que estar dentro de um Supermercado ?

Por que os Shoppings, que abrigam lojas, serviços, entretenimento, local de trabalho e, principalmente, cada vez mais estão orientados para proporcionar experiências e sensações , não podem seguir seu própio caminho e também buscarem para si esse mesmo benefício ? Em breve, ser um Shopping Cinza ou Verde, será fator de escolha para um público cada vez mais antenado e educado nas suas escolhas do que , onde, como e com quem consumir produtos ou serviços ou sensações. Qual Shopping Center não deseja ter seu custo reduzido na gestão de ativos como água, ar, energia, solo, matéria prima ou resíduos com intuito de oferecer um valor de condominio competitivo que não onere seu cliente lojista e com isso seja agente de suporte no aumento de margem desses mesmos lojistas ? Ganha o Lojista, ganha o Shopping, ganha o Empreendedor e ganha o principal ator: o Consumidor.

Todas essas perguntas e muitas outras, serão respondidas de diversas maneiras e por diferentes especialistas, no Seminário  idealizado pelo Luiz Alberto Marinho da Brandworks e pela Gouvêa de Souza, no dia 20 de outubro de 2011 em São Paulo.

Se chama Green Mall Sustentabilidade na Prática. Seu conteudo é pragmático e orientado para cases e projetos que já trouxeram ganhos tangíveis e intangíveis para seus Shoppings. Empreendedores que já  deram início ao processo de internalizar a competência da sustentabilidade no seu DNA, já estão colhendo os benefícios desse posicionamento estratégico e irreversível, pois, voltando ao início do tema, o Shopping fala, se comunica, interage e convive com um imenso público que precisar voltar nele sempre que possível e gerar demanda de negócios para os Lojistas que lá estão! Como Sustentabilidade cabe em todos os Shoppings, esse seminário tem o importante apoio da ABRASCE.

Confira aqui a programação do “Green Mall Sustentabilidade na Prática”, que mereceu divulgação em diversos espaços na mídia de varejo e sustentabilidade :

http://abraps.blogspot.com/2011/10/green-mall.html

http://www.falandodevarejo.com/2011/10/evento-discute-sustentabilidade-em.html

1o. Seminário Green Mall - Sustentabilidade na Prática

1o. Seminário Green Mall - Sustentabilidade na Prática

%d blogueiros gostam disto: